5 de novembro de 2009

FRANCINE PIAIA ... SEMPRE QUERIDA!


Oito meses após o fim do confinamento no “Big Brother Brasil”, a terceira colocada do programa continua em alta e alvo do interesse da mídia e dos promotores de eventos. Capa de três revistas publicadas no mês em curso, dona de um blog vitorioso que acabou de emplacar três milhões de acessos, com seus produtos para a criançada vendendo muito bem e com a agenda cheia de compromissos, Francine Piaia não pode se queixar da vida.


Em entrevista dada a uma revista, Francine falou sobre a preparação para ser destaque em uma escola de samba no Carnaval carioca de 2010, sobre seu trabalho e sobre seu ex-namorado Max.


Depois de assegurar que está solteiríssima, desde o rompimento com Max, e que não tem nenhuma pressa em voltar a namorar, Francine reafirmou uma das razões para ter terminado o relacionamento com este Senhor Importantíssimo: a forma altiva como ele se enxergava. Segundo a Fofura, “o problema dele é a falta de reconhecimento e consideração. Max acha que conseguiu tudo sozinho, o que não é verdade. Ele não ganhou sozinho o programa. A gente não chega a lugar nenhum sozinho”.


Acho que não é surpresa para ninguém esta atitude de soberba e esta auto imagem exageradamente superior de Max, além do seu notório complexo de superioridade em relação à Francine, desde o tempo em que estavam no confinamento. Claro que ele jamais admitiria não ser o importantão, o insuperável e magnífico herói do BBB9. Ó santa cegueira! Ó insana ilusão! Ó estupenda vaidade!


Infelizmente, incluo-me dentre as cegas que não perceberam o joguinho do “bom moço”, dentre as babacas que não aprenderam a lição tão bem ensinada por Alemão e ainda cairam em outra falsificada historinha de amor.


Se não enxerguei foi unicamente por culpa minha e do meu velho e arraigado romantismo. O que não faltou foi quem alertasse para o engodo que era aquele interesse exagerado de Max por Francine. Sinais da falsidade, ele os deu prodigamente, em atitudes e em conversas com Flávio, com Priscila, com Maíra e com Milena.


Aquela certeza de Ana Carolina e de Naiá de que ele não sentia amor por Francine tinha fundamento, só que lastimavelmente não acreditei. Também Priscila percebeu e falou em sua descrença em Max. Esta devia saber muitoooo, inclusive sobre o quesito “provocação de ciúmes”, no qual ela não negaceou cumplicidade e uma ajudinha básica. No final, quem levava a fama de ciumenta aloucada era Fran.


Esse presunçoso ter a audácia de achar que ganhou o prêmio milionário sem a valiosa ajuda do carisma de Francine e do fã club imenso que a apóia, é muita falta de desconfiômetro, se não for uma baita desfaçatez. Francine não somente levou Max nas costas, como levou o lado B e o próprio BBB9. Ela foi a alma e a graça da nona edição do programa.


Francine, na entrevista para a revista Quem, admitiu que não gostava mesmo da aproximação do então namorado com Priscila. “Tive ciúme da Priscila com Max, em relação ao comportamento atrevido dela, só isso. Nenhuma mulher gosta de se sentir ameaçada”.


Quem ousaria dizer que Fran não estava coberta de razão ao não desejar a aproximação entre o sonso Max e a atirada Priscila? Que mulher gostaria de ter o namorado sempre cercado por uma mulher com o “currículo” da Kiwi? Duvido que alguma goste ou que tolere ver o namorado ser cercado por uma fulaninha toda caras e bocas, toda cheia de mãozinhas e de denguinhos sensuais... Se alguém gosta e admite, que atire a primeira pedra em Francine.


Indagada sobre a possibilidade de ela e Max voltarem a ser, pelo menos, amigos, Francine respondeu: “quem sabe um dia? A gente não se cruzou mais desde que nos separamos. Não tenho problema de olhar para a cara dele”.


Apesar de Fran ter dito que não falaria sobre sua vida íntima, a reportagem não a popou da pergunta que se segue: “Sempre achei o Max um homossexual enrustido. Concorda?”. Pergunta simplesmente absurda e deselegante que Fran tratou de deixar frustrada ao responder: “O que eu acho disso? Eu não tenho mais nada a ver com isso! A sexualidade em questão é dele. Estou fora disso, graças a Deus!”



Postar um comentário