30 de dezembro de 2015

As sábias palavras de Baruch Spinoza

1 COMENTÁRIOS


Einstein, quando perguntado se acreditava em Deus, respondeu: -“Acredito no Deus de Spinoza, que se revela por si mesmo na harmonia de tudo o que existe, e não no Deus que se interessa pela sorte e pelas ações dos homens”.

“Pára de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que eu fiz para ti.

Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa. Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí, é onde eu vivo e aí, expresso meu amor por ti.

Pára de me culpar por tua vida miserável: eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau. O sexo é um presente que eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.

Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho…, não me encontrarás em nenhum livro!

Confia em mim e deixa de me pedir.Tu vais me dizer como fazer meu trabalho? Pára de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor. Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar.

Se eu te fiz, eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? Como posso te castigar por seres como és, se eu sou quem te fez?

Crês que eu poderia criar um lugar para queimar todos os meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?

Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti.

Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.

Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é a única coisa que há aqui e agora, e a única que precisas.

Eu te fiz absolutamente livre.Não há prêmios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro. Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.

Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse, como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado a oportunidade que te dei.

E se houver, tem certeza que eu não vou te perguntar se foste comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste… Do que mais gostaste?… O que aprendeste?…

Pára de crer em mim- crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti. Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.

Pára de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que eu seja? Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam. Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. Te sentes especial, apreciado?… Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.

Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas.

Para que precisas de mais milagres? Para que tantas explicações? Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro… Aí é que estou, batendo dentro de ti.

(Baruch Spinoza.)

As sábias palavras são de Baruch Spinoza – nascido em 1632 em Amsterdã, falecido em Haia em 21 de fevereiro de 1677, foi um dos grandes racionalistas do século XVII dentro da chamada Filosofia Moderna, juntamente com René Descartes e Gottfried Leibniz. Era de família judaica portuguesa e é considerado o fundador do criticismo bíblico moderno. Acredite, essas palavras foram ditas em plenos século XVII. Continuam verdadeiras e atuais até hoje…

19 de dezembro de 2015

Teu Laço de Fita

0 COMENTÁRIOS


A arte engajada com a causa abolicionista de Castro Alves deu origem a alcunha que lhe foi atribuída de “poeta dos escravos”. Mas, apesar do vigor, do entusiasmo, da paixão e da veemência com que notabilizou o seu discurso poético de índole social, é preciso que seja, também, valorizada a sua peculiaríssima poesia lírico-amorosa, especialmente por sua qualidade de estilo e pela expressão límpida de uma sensualidade sem malícia que, ainda hoje, seduzem os leitores dos seus versos. O poeta baiano faleceu, solteiro, aos 24 anos de idade, deixando apenas um livro publicado - Espumas Flutuantes. 

O LAÇO DE FITA

Não sabes, criança? ’Stou louco de amores...
Prendi meus afetos, formosa Pepita.
Mas onde? No templo, no espaço, nas névoas?!
Não rias, prendi-me
Num laço de fita.

Na selva sombria de tuas madeixas,
Nos negros cabelos da moça bonita,
Fingindo a serpente qu’enlaça a folhagem,
Formoso enroscava-se
O laço de fita.

Meu ser, que voava nas luzes da festa,
Qual pássaro bravo, que os ares agita,
Eu vi de repente cativo, submisso
Rolar prisioneiro
Num laço de fita.

E agora enleada na tênue cadeia
Debalde minh’alma se embate, se irrita...
O braço, que rompe cadeias de ferro,
Não quebra teus elos,
Ó laço de fita!

Meu Deus! As falenas têm asas de opala,
Os astros se libram na plaga infinita.
Os anjos repousam nas penas brilhantes...
Mas tu... tens por asas
Um laço de fita.

Há pouco voavas na célere valsa,
Na valsa que anseia, que estua e palpita.
Por que é que tremeste? Não eram meus lábios...
Beijava-te apenas...
Teu laço de fita.

Mas ai! findo o baile, despindo os adornos
N'alcova onde a vela ciosa... crepita,
Talvez da cadeia libertes as tranças
Mas eu... fico preso
No laço de fita.

Pois bem! Quando um dia na sombra do vale
Abrirem-me a cova... formosa Pepita!
Ao menos arranca meus louros da fronte,
E dá-me por c'roa...
Teu laço de fita.
                                        
COMENTÁRIO

“Teu laço de fita faz parte de “Espumas flutuantes”, único livro de Castro Alves publicado em vida. Nesse poema temos um sujeito lírico falando sobre a sua paixão por uma moça que, supostamente, está em um baile e usa como adereço nos cabelos um laço de fita. Esta figura feminina é uma mulher sedutora, esbanja sensualidade e atrai o poeta com seu insinuante laço de fita.
O amor de cunho platonizante, puro sentimento tal como era idealizado pela primeira geração de poetas românticos, não tem lugar no lirismo de Castro Alves. O amor, em sua lírica, é retratado sob a lupa da paixão, da sensualidade e do desejo amoroso. A mulher amada é envolvente, real, lasciva, ousada, e a paixão é a válvula propulsora que move o poeta a escrever versos de exaltação à relação amorosa que o envolve. Em suas poesias, a sensualidade e o erotismo explícitos são aliados a uma concepção poética do amor como sentimento vivido em sua plenitude seja no ponto de vista emocional, seja no que diz respeito à fruição do amor carnal. As mulheres que ama são sensuais e desenvoltas, ao contrário da musa das gerações anteriores, recatadas, intocáveis e vistas sob a ótica da idealização.

LEIA MAIS, clicando na frase abaixo.

11 de dezembro de 2015

Dilma Rousseff Aedes Aegypti...

0 COMENTÁRIOS
Oh Pai! Precisava se caracterizar de mosquito, para falar sobre ele?

A presidente Dilma Rousseff esteve presente hoje em evento que lançou um plano nacional de enfrentamento ao mosquito Aedes Aegypti, responsável pela transmissão da dengue, da febre chikugunya e do vírus zika, causador de microcefalia.
Para quem estava presente no evento, a presença de Dilma na mesa trazia uma sensação estranha, como se um mosquito estivesse zumbindo perto da orelha. Até que alguém matou a charada: “Presidenta, a senhora está vestida de Aedes Aegypti!”, disse um jornalista. Óh, Pai! Que mico a lindinha pagou!

Dilma refugou, passou alguns segundos em silêncio olhando para a própria blusa e balbuciou: “Jurema, sua danada…” Analistas consideram que a figurinista e camareira Jurema da Silva é a mais nova aliada de Dilma a seguir os passos de Michel Temer.

Na saída do evento, os assessores foram rápidos em explicar o “wardrobe malfunction” da presidente. “A camareira nova dela é daltônica, não conseguiu escolher a cor direito”, disse o ministro chefe da Casa Civil Jaques Wagner. Quando confrontado com o fato de que a blusa era preta e branca e não tinha cores, o ministro disse que precisava levar cigarro para Delcídio na cadeia e saiu de fininhoQue vexame! Oh, Pai!

6 de dezembro de 2015

Viviane Araújo, a campeã da Dança dos Famosos!

0 COMENTÁRIOS



Depois de fazer duas apresentações primorosas de samba de gafieira e de tango, Viviane Araújo foi a grande vencedora do Dança dos Famosos 2015, promovida por Faustão em seu programa do domingo! 

Ao lado do professor Marcelo Grangeiro, a talentosa, carismática e bela atriz, além de estrela maior da Escola de Samba Salgueiro, onde é a gloriosa Rainha da Bateria há muitos anos, tirou o fôlego do público com performances impecáveis no último dia de apresentações. A dupla alcançou a maior pontuação e cada um deles levou para casa um carro 0 km como prêmio. 

Após o anúncio do casal vencedor, Vivi e Marcelo não seguraram as lágrimas. Muito emocionada, a dupla comemorou com os demais participantes e familiares que assistiam à final.

Vivi Araújo lembra que foi descoberta por Chico Anysio e comenta tempos de 'Escolinha do Professor Raimundo'.

Aos 40, Viviane Araújo é casada com Radamés, jogador de futebol, com que deseja realizar seu sonho de ser mãe. 

Viviane foi a mega campeã do reality show da Record, A Fazenda 4, antes do programa entrar na decadência irredutível em que mergulhou desde a quinta edição.

Parabéns Vivi! Você merece tudo de bom!



3 de dezembro de 2015

Violência contra a mulher é tema de novelas...

0 COMENTÁRIOS



Em parceria com a ONU Mulheres, a Globo está promovendo, desde o último dia 11, uma campanha em que alerta sobre a violência contra a mulher. “Toda vez que uma mulher é agredida, a sociedade inteira é agredida também. Não se omita. Denuncie”,diz o vídeo que vem sendo divulgado nos intervalos da programação da  emissora.
Embora o tema não seja novo e já tenha aparecido em várias novelas da Globo nos últimos anos, a atual campanha institucional acabou tendo reflexo nas tramas em exibição no momento. As três novelas da emissora têm dado destaque a personagens masculinos que abusam e agridem mulheres.

Em “A Regra do Jogo”, Juca (Osvaldo Mil, no alto) agride, humilha e ofende sem parar Domingas (Maeve Jinkings), até ser expulso de casa. No capítulo desta segunda-feira (30), em uma cena dramática, moradores do Morro da Macaca impediram que ele mais uma vez agredisse a mulher e o expulsaram da favela aos gritos de “covarde”.

Em “Além do Tempo”, um personagem que não existia na primeira fase, Queiróz (Zécarlos Machado, ao lado) trata sua mulher, Gema (Louise Cardoso), como objeto, desprezando-a. E em “Totalmente Demais”, Dino (Paulo Rocha, acima) já tentou seduzir a enteada, Eliza (Marina Ruy Barbosa), e trata muito mal a mulher, Gilda (Leona Cavalli).
A emissora garante que não influenciou os autores das novelas a incluírem ou desenvolverem estes personagens e assegura que não há uma relação direta entre a campanha institucional e as tramas. “O tema da violência contra a mulher é super atual e contemporâneo, então é natural que a marca (Globo) e suas obras estejam e sejam sensíveis a ele”, diz em resposta a um questionamento do blog.
“As tramas já estavam previstas na sinopse, mas, como o assunto está na pauta da sociedade, elas acabam ampliando a repercussão do tema”, acrescenta a Globo, sugerindo que a boa acolhida pelo público levou a um desenvolvimento maior das histórias.
Em agosto, em entrevista à “Folha”, questionado se incluiria ações de responsabilidade social em “A Regra do Jogo”, João Emanuel Carneiro deu a entender que não gostaria de ser obrigado a fazer isso: “Se for da trama, pode ser que eu aborde algum tema polêmico. De fora para dentro ter que discutir determinados temas me parece programático, engessa a história”.
O autor da novela disse não gostar de merchan social em suas tramas: “Mas como quase todas as novelas já se dedicam tanto a fazer esse tipo de polêmica, as minhas podem se dedicar a falar de temas novos para as pessoas, dinâmicas, conflitos novos. Eu como espectador não me seduzo tanto por polêmicas programáticas”.
A Globo disse: “Em 2015, foram cerca de 970 cenas socioeducativas exibidas em nossas novelas. Também cedemos espaço para a veiculação de 70 campanhas próprias e de parceiros, que informam, sensibilizam e mobilizam para causas sociais.”

Autor: Mauício Stycer


20 de novembro de 2015

A moral feminina no nosso século!

0 COMENTÁRIOS
"Desinibida, despachada, polêmica, sensual. As palavras que definem Natalia Casassola, hoje com 30 anos, são as mesmas que fizeram a gaúcha roubar os holofotes quando participou pela primeira vez do “Big Brother Brasil”, na época em sua oitava edição, quando a loira tinha 22 anos. Apesar de continuar com o mesmo sorriso largo e sem pudores para falar de assuntos como a sua bissexualidade, ela garante que mudou muito. Em seu segundo ensaio sensual para o Paparazzo, Natalia e mostrou o corpo voluptuoso que deixou muita gente babando - inclusive Fernando Mesquita e Yuri Fernandes, respectivamente na oitava e décima terceira edição do “BBB”.

De fato, muita coisa mudou nos últimos sete anos. Ao sair do confinamento, Natalia viveu um affair com Fani Pacheco, mas na época não considerava o clima com a também ex-BBB um indício mais forte de seu interesse por pessoas do mesmo sexo. Agora, afirma com todas as letras que é bissexual: “A mulher hoje em dia é direta, vai lá e faz. Por isso digo que os príncipes estão virando sapos. Eu mesmo sou assim. Acho que talvez elas estejam tão diretas que os homens estão mal acostumados a não agir como homens e acomodados nessa situação, porque a mulherada pega e vai, firme e forte. E talvez por isso eu fique com mulheres”.

A gaúcha diz que não sentiu muita diferença no dia a dia depois que falou sobre o assunto publicamente. “Minha vida intimamente não mudou porque já era bissexual e só anunciei. Lógico que a quantidade de mulheres que antes não vinha, agora vem mais tranquila, tendo a certeza de que tudo bem. Mas também não é uma coisa assim, tipo Nossa Senhora! Eu não sou a Xuxa (risos). Como falei de uma coisa que para mim era tão natural e que eu não estava fazendo mídia, foi normal”.
Mesmo afirmando que tem atração por mulheres, Natalia explica que as ficadas têm momento certo para acontecer. “Não saio de casa para encontrar outra mulher e jamais vou namorar uma porque acho mulher muito chata. Assunto de mulher é chato, as conversinhas... Fico com mulher em balada quando já estou mais para lá do que para cá, e como as mulheres têm mais atitude do que os homens, acabo ficando com elas. É mais uma diversão. Eu gosto, não deixo de gostar de mulher, mas não levaria isso para um compromisso, para uma coisa mais séria. Não aguentaria”.

Mesmo impondo limites, Natalia assume que o interesse é completo e vai muito além do beijo na boca. “Faço sexo, sim. Se beijou, você faz. Não venha me dizer ‘ah, eu só beijo’. Porque quando você está beijando, a pepeca está batendo palma”, brincou ela, que disse ter descoberto essa atração na época em que se envolveu com Fani.

A gaúcha acha que o relacionamento com mulheres foi a grande revolução que aconteceu em sua vida sexual nos últimos anos: “Foi o que acrescentou, porque sempre fui tão safada que não tem uma coisa que eu diga: ‘Nossa, mudei, eu era papai e mamãe e virei de quatro agora’. Então a grande diferença foi essa”.

Entre o beijo de um homem e o de uma mulher ela diz que não tem preferência, mas que quando beija uma mulher gosta de encarnar seu lado “macho”. “Um beijo é totalmente diferente do outro. De mulher com mulher eu sou o homem porque tenho vontade de morder. Porque é tão delicadinho...”. Mas quando o assunto é sexo oral, é taxativa: “Ah, para fazer na gente, mulher é melhor!”.

Morando em Florianópolis, Natalia conta que curte aventuras de improviso e não gosta de planejar. “Sou de momento. Tem que ter o momento certo porque se você planeja muito não fica uma coisa gostosa. Já fiz sexo na beira da praia e foi maravilhoso porque estávamos no final da tarde e eu moro numa praia mais isolada de Florianópolis. Costumo levar um lençol de casal para não ficar cheia de areia e aí você brinca, dá uma enroladinha no lençol e ninguém vê nada".
Entrevista dada por Nathalia para a revista PlayBoy, na qual será capa.


Sinto nojo por tanto descaramento. Mas, tenho que admitir, deplorando, que é esta a moral vigente na caótica e decadente época em que estamos vivendo!
Bem, na época da corte francesa, as mulheres "dadivosas," de vida libertina, recebiam em salões frequentados por homens da nobreza. Ficavam ricas e famosas. Hoje, elas se exibem nuas na PlayBoy, participam do BBB, se dizem bissexuais, fazem shows em boites gays, participam de filmes pornôs de quinta categoria e vivem ávidas pelos holofotes da fama, nem que para isto digam e façam as mais execráveis coisas, que vivam na contramão dos valores morais e dos princípios da dignidade e do auto-respeito legados pela tradição.


19 de novembro de 2015

As asneiras ditas por Xuxa são de pasmar!

0 COMENTÁRIOS
Anitta se surpreende com proposta de Xuxa

Há três meses na Record, Xuxa Meneghel ainda está um pouco distante da meta de audiência: até a última segunda-feira, seu programa tinha média de 7,5 pontos na Grande São Paulo, 25% a menos do que os 10 esperados. A emissora já dá sinais de insatisfação e estuda passar a gravar a atração, basicamente por dois motivos: é mais barato e pode evitar constrangimentos que têm sido corriqueiros.
As próximas semanas serão decisivas para o futuro do talk show da ex-rainha dos baixinhos. Por causa da terceirização das atividades do RecNov, complexo de estúdios da Record no Rio de Janeiro, o programa de Xuxa já está gravado até o final do ano. O de segunda-feira pode ter sido o último ao vivo. 
Gravar durante o dia é mais barato do que à noite. A mão de obra não tem custos adicionais, como adicional noturno, e os gastos com transportes são menores. Pode ser melhor também para atrair convidados para o programa, porque muitos não estão disponíveis às segundas-feiras à noite.
Na Record, a avaliação é de que o programa de Xuxa precisa de ajustes, que a atração está muito centrada na apresentadora e que ela tem falado muitas bobagens. Momentos constrangedores como os da última segunda poderiam ter sido evitados com cortes ou interrupção da gravação, caso o show não estivesse ao vivo.
Na edição, Xuxa quase falou "conto de fodas" ao anunciar o quadro Conto de Fadas. E a cantora Anitta, a convidada da noite, ficou visivelmente constrangida de ter que participar de um quadro de teor sexual. Ela teve que cheirar homens musculosos seminus. Anitta estranhou. Xuxa retrucou. "Ela não vê programa, gente, não estou entendendo", reclamou. "Amor, Xuxa Só Para Baixinhos é em outro horário", disse, irônica, para Anitta. Que baixaria! Nem idade para ser tão leviana e tola essa mulherzinha ultrapassada tem. Ela mudou a linguagem, fala como os adolescentes, diz asneiras e inconveniências, tudo para aparentar uma juventude que já não tem. Uma mulher de mais de cinquenta anos deveria ter mais classe, mais comedimento e menos vulgaridade!
Dependendo da audiência dos próximos programas, a Record poderá passar a gravar todas as edições do Xuxa Meneghel. É no que dá querer importar da Globo o que esta emissora rejeita por não render mais, por estar desgastado e por estar ultrapassado. Agora aguentem a loura babaquinha de falinha infantil e cérebro de minhoca... 
No Ibope, até agora, Xuxa não está fazendo feio, mas também não tem correspondido plenamente às expectativas. Seu programa só ultrapassou a meta de 10 pontos na estreia, em 17 de agosto. Chegou a marcar apenas 5,3 na terceira semana, mas reagiu. Mesmo assim, rendeu menos do que o Troca de Família, que recicla histórias apresentadas há até sete anos. Contra o SBT, na média geral, empatou. No confronto com o Programa do Ratinho, só venceu em quatro das 14 ocasiões, Está em desvantagem: a atração do SBT vence por 8,6 a 8,3 pontos nos aproximadamente 50 minutos em que disputam o público.
Não dou mais um ano para darem as contas à enjoativa e bobinha "rapazinho americano", como muito bem disse Silvio Santos.
Nunca consegui ver o programa ruim da Xuxa por mais de 10 minutos. Não tenho estômago para ver a menina véia gritando "galeraaaa" para o auditório.


17 de novembro de 2015

Lady Gaga é uma garota super normal! Sabia?

0 COMENTÁRIOS


Quem acompanha a carreira de Lady Gaga e sempre se surpreende com suas polêmicas e seus visuais extravagantes nem consegue imaginar que a cantora esconde personalidade de uma garota normal debaixo da maquiagem excêntrica. Confira abaixo os 10 fatos que vão te surpreender sobre a famosa:

1) Seu nome verdadeiro é bastante comum e pouco artístico: Stefani Joanne Angelina Germanotta.

2) Sofreu bullying durante a adolescência e era chamada de coelha por causa de seus dentes grandes.

3) A cantora vem de uma família rica e estudou em um tradicional colégio católico de Nova York.

4) Apesar de ter ficado famosa com os fios loiros, seus cabelos são naturalmente castanhos.

5) Aprendeu a tocar piano quando tinha apenas 4 anos de idade.]

6) Mesmo se exibindo extremamente sensual e falar sobre sexo em suas músicas, a cantora mantêm um relacionamento estável há três anos com o ator Taylor Kinney.

7) Assim como a maioria das garotas, adora sair para fazer compras.

8) Lady Gaga adora comer cereais matinais e beber Coca-Cola.

9) Apesar de ter sido criticada por seus quilinhos extras, a famosa admitiu que se sente confortável com seu corpo mais curvilíneo.

10) A cantora tem apenas 1,55 m de altura e por isso sempre usa sapatos com saltos de, no mínimo, 10 centímetros.

13 de novembro de 2015

Casamento do casal ex-BBB, Franciele e Diego...

0 COMENTÁRIOS

Noiva usa vestido avaliado em R$ 12 mil  (Foto: Isabella Pinheiro/Gshow)

Os ex-BBBs Franciele Almeida e Diego Grossi se casaram na noite desta quinta-feira (12) no Rio de Janeiro. Depois de quase dois anos de namoro, os dois resolveram trocar alianças. O casal se conheceu no BBB 14 e trocou o primeiro beijo dentro da casa mais vigiada do país.
O vestido de Fran custou cerca de R$ 12 mil e ficou pronto depois de quatro meses. Segundo o GShow, o vestido foi 60% feito à mão. No meio do processo, Fran mudou de ideia e quis mudar o visual, fazendo a estilista rasgar toda a parte de cima do vestido para recomeçar do zero, no corpo da noiva.
Para a festa, Fran vai poder tirar a cauda do vestido, ficando com uma saia redonda para dançar com mais conforto.
De mentirinha
Dentro da casa do BBB14, Fran e Diego chegaram a casar de brincadeira, com direito a véu. Os dois trocaram alianças de papel, para diversão dos outros confinados. Batizado pela torcida de FranGo, o casal viveu altos e baixos na casa. Temperamentais, brigaram bastante, mas sempre faziam as pazes.




FELICIDADES PARA OS NOIVOS... 

11 de novembro de 2015

Os Dez Mandamentos... Salve, Salve!

0 COMENTÁRIOS


Com o incontestável sucesso da novela "Os Dez Mandamentos", que vem batendo recordes de audiência nas últimas semanas, os atores da Record passaram a ser mais reconhecidos e a emissora virou atração para novos nomes da teledramaturgia e também para ex-atrizes e atore da Globo, muitos deles sem participações relevantes há muito tempo. Cristiana Oliveira, Kadu Moliterno, Nívea Stelmann, Elizângela e Paloma Bernardi, todos vindos da Globo, são alguns dos nomes que estarão na noiva novela "Terra Prometida", continuação de Os Dez Mandamentos, com estreia para 2016

A fuga de atores da Globo para a Record é semelhante à de dez anos atrás, quando a emissora conseguiu tirar da Globo nomes como Marcelo Serrado, Paloma Duarte e Gabriel Braga Nunes. Na época, "Prova de Amor" e outras novelas também faziam sucesso e incomodavam a concorrência. Depois, a emissora passou ao mau gosto de fazer novelas violentas, pesadas demais e com tramas sem grande interesse para o público mais exigente.
Segundo o produtor de elenco, a Record segue a tendência já praticada pela Globo de enxugar o elenco fixo, com contratos por obra e poucos de longo prazo, como ocorre com os protagonistas de "Os Dez Mandamentos". Sérgio Marone, por exemplo, renovou por três anos após se destacar como o Faraó Ramsés, .papel que desempenhou com perfeição.
Os atores remanescentes da primeira leva de ex-globais na Record comemoram o sucesso de "Os Dez Mandamentos", que devolveu à emissora a visibilidade perdida nos últimos anos com produções de baixa audiência.
Os Dez Mandamentos está sendo uma das melhores novelas que já vi, em tantos anos de paixão pelos bons folhetins. Tudo no folhetim está perfeito: Os cenários maravilhosos, o guarda roupa impecável e belíssimo, os efeitos especiais, a trama bem urdida, os atores e atrizes irretocáveis em suas atuações. O realismo das cenas rivalizando com a beleza, a verdade bíblica dialogando com a ficção necessária para o encaixe da trama. 
Marrone esteve imbatível como Ransés, o porte elegant e majestoso, a voz rouca , o olhar duro e oblíquo, as entonações de voz... Enfim, ele me fazia sentir estar no Egito Antigo, vivendo tudo aquilo. A belíssima Nefertari um encanto de beleza, elegância e interpretação, assim como todo o elenco. Vou sentir muita saudade desta magnífica novela. Parabéns Record!
A Globo está em franca decadência dramatúrgica. A única novela que vale a pena ver é Além do Tempo. As demais, inclusive a que começou na segunda-feira, são péssimas! Quem criticou Babilônia deve estar com saudades desta... A Regra do Jogo é uma das piores produções que já vi na vida. Parece um programa policial, tipo Cidade Alerta. Violência em excesso, mau caratismo demais, personagens desonestos, mafiosos, assassinos, corrupção, mais uma favela como pano de fundo, exemplos de amoralidade e de falência dos valores que asseguram a dignidade humana, especialmente os valores de família. A das 19hs que terminou - Ai Love Paraisópoles, não ficou atrás da que a sucede. Recuso-me a acompanhar tais lixos televisivos. Também não verei Rei David, na Record. Muito violenta. Não curto chibatadas, assassinados, guerras violentas e sangue na telinha. Já tive disto em Os Dez Mandamentos, com o tratamento desumano que era dado aos hebreus. Mas, era a realidade vivida pelos povos escravos, não gostava de ver....
Com o incontestável sucesso da novela "Os Dez Mandamentos", que vem batendo recordes de audiência nas últimas semanas, os atores da Record passaram a ser mais reconhecidos e a emissora virou atração para novos nomes da teledramaturgia e também para ex-atrizes e atore da Globo, muitos deles sem participações relevantes há muito tempo. Cristiana Oliveira, Kadu Moliterno, Nívea Stelmann, Elizângela e Paloma Bernardi, todos vindos da Globo, são alguns dos nomes que estarão na noiva novela "Terra Prometida", continuação de Os Dez Mandamentos, com estreia para 2016
A fuga de atores da Globo para a Record é semelhante à de dez anos atrás, quando a emissora conseguiu tirar da Globo nomes como Marcelo Serrado, Paloma Duarte e Gabriel Braga Nunes. Na época, "Prova de Amor" e outras novelas também faziam sucesso e incomodavam a concorrência. Depois, a emissora passou ao mau gosto de fazer novelas violentas, pesadas demais e com tramas sem grande interesse para o público mais exigente.
Segundo o produtor de elenco, a Record segue a tendência já praticada pela Globo de enxugar o elenco fixo, com contratos por obra e poucos de longo prazo, como ocorre com os protagonistas de "Os Dez Mandamentos". Sérgio Marone, por exemplo, renovou por três anos após se destacar como o Faraó Ramsés, .papel que desempenhou com perfeição.

LEIA MAIS

8 de novembro de 2015

Mulher: Raça superior!

0 COMENTÁRIOS



Quer a prova definitiva da superioridade feminina? A mulher tira o sutiã sem tirar a blusa. É um superpoder.

Não existe operação idêntica masculina. O homem não tira a cueca sem tirar a calça, nem tira a meia sem tirar o sapato, muito menos tira a regata sem tirar a camisa por cima.

O que ela faz é mágica, contorcionismo de circo, desenho animado. Ela solta o fecho com uma mão, passa uma tira pelos ombros e braços com a outra, e pronto. Três gestos, três segundos. Pena que não é uma modalidade olímpica.

Utiliza a própria aparência como tenda, como biombo, como camarim, para evitar olhares indiscretos. Troca de roupa sem ninguém perceber. Pode fazer no carro, no trem, no elevador, no restaurante, em qualquer parte.

A impressão é que tem ossos flexíveis, remove o osso do lugar e põe de volta.

Coisas de ninja, de samurai. Aceite apenas que a mulher é uma raça superior, e admire os seus milagres.

Postado por Carpinejar
Arte de Marcelino Vespeira

28 de outubro de 2015

"Violência contra a Mulher"

0 COMENTÁRIOS
Se alguém ainda tinha dúvidas de que o Brasil e um país machista, as reações nas redes sociais e no Parlamento ante a escolha do tema "Violência contra a mulher" para a redação do Enem 2015 as dirimiram.
Tão logo a escolha do tema se tornou pública, figuras tragicômicas do conservadorismo brasileiro, como Bolsonaro e Feliciano acusaram o exame de “doutrinação” e de “marxismo do PT”, voltando suas baterias, ainda, a uma questão baseada no clássico feminista O Segundo Sexo, de Simone de Beauvoir. Para além da contradição irônica de um militar e um pastor reclamarem de catequização ideológica, trata-se de uma tripla bobagem.

Confusão deliberada
Primeiro, porque a violência contra a mulher é um tema que não se enquadra na divisão político-ideológica convencional entre direita e esquerda, pertencendo ao âmbito dos Direitos Humanos - que, como tais, ao menos na letra da lei, transcendem partidarismos.
Segundo, porque o PT nunca foi marxista, o que dizer após sua conversão a um modelo capitalista de desenvolvimento baseado no consumismo.
Terceiro, porque uma das mais recorrentes críticas a Marx é justamente de negligência para com as questões de gênero.

Analfabetismo político
Mas tal reação teve um aspecto pedagógico: a repercussão de tais criticas nas redes sociais, barulhenta e volumosa, forneceu uma amostra do quanto se encontra disseminado, sobretudo entre jovens, um conservadorismo preconceituoso e ignorante (embora se acredite ilustrado), neles instilado por velhas figuras paternais travestidas de intelectuais e ideologos.
Presos a uma visão política binária e excludente, com baixíssima formação cultural e política, são aliciados para um autoritarismo que “opera pelo discurso e pela prática sempre bem engrenadas que se organizam ao modo de uma grande falácia, ao modo de um imperativo de alto impacto performativo: o outro não existe e, se existe, deve ser eliminado”, como descreve a filósofa Márcia Tiburi em artigo na revista Cult. Para ela, esse neoconservadorismo, que se quer uma elite intelectual e se crê aideológico enquanto critica o que entende por ideologia (esquerdista) alheia, caracteriza-se por “autoafirmação de ignorância, assinatura de estupidez”.

Fahrenheit 451
O jornalista Mário Magalhães foi didático a tal respeito, ao apontar, em seu blog, que “O problema maior são as veleidades de censor, a proposta, escancarada ou envergonhada, de eliminar da história Simone de Beauvoir, seu pensamento e suas ações”.
Seja como for, em termos polítcos é temeroso pensar o que esses jovens eleitores virão a fazer, nos próximos anos, com os seus votos.

Orgulho sem razão
O petismo, por sua vez, no estado extremo de carência em que se encontra, aproveitou o acerto na escolha do tema da redação como evidência, a um tempo, de seu esquerdismo e de que administra bem a Educação. Trata-se de uma dupla falácia, pois área educacional é a que mais sofre com o ajuste fiscal de inspiração neoliberal, com cortes na casa das dezenas de bilhões de reais.
Pior: no que diz respeito ao próprio tema da violência doméstica, embora o partido tenha o grande mérito de ter participado da elaboração e ajudado a aprovar no Congresso a “Lei Maria da Penha”, sancionada pelo presidente Lula, o governo Dilma, ao vetar a lei que determinava a igualdade de salários entre homens e mulheres, colaborou de maneira decisiva para perpetuar a assimetria econômica entre os sexos - que, por sua vez, está no cerne das relações de dependência financeira que dificultam tanto a denúncia da violência quanto a obtenção de autonomia por parte de mulheres agredidas, muitas das quais acabam presas a uma relação abusiva.

Feminicidio e violência
Nunca é demais apontar que a violência contra a mulher é uma questão social urgente. Segundo dados oficiais, quase 50 mil brasileiras foram assassinadas entre 2001 e 2011, a maioria entre 15 e 24 anos. Foram feitas mais de 50.000 denúncias em 2014, sendo que 77% das mulheres que relatam viver em situação de violência são agredidas ao menos uma vez por semana, 48% delas em sua própria casa. Sendo que se teme que esses números sejam apenas a face visível de uma violência que muitas vezes sequer é registrada.
Portanto, carimbar tal tema de propaganda esquerdista revela um misto de ignorância e má-fé, pois faz todo o sentido (cívico, educacional, preventivo) instigar jovens vestibulandos a sobre ele refletirem. A escolha dos examinadores foi mais do que acertada.

Jogo de aparências
Mas, levando em consideração o todo da prova, isso não anula algumas das críticas que são feitas ao Enem (não obstante o avanço que este representa em relação ao vestibular convencional). Dentre elas destacam-se o desprezo pelas diferentes realidades educacionais regionais, a não-explicitação dos propósitos e da competência de área de cada questão, e um modelo de prova que, se inova na escolha das questões, tratando temas sociais atuais, não deixa de repetir uma fórmula esquemática de exame que favorece as escolas cujo planejamento de aulas se dá com vistas ao exame (à maneira dos antigos curtinhos), prejudicando aquelas que cobrem o currículo sem direcioná-lo para tal.

LEIA MAIS

2 de outubro de 2015

As fantasias sexuais femininas

0 COMENTÁRIOS


Elas têm receio de compartilhar preferências, dúvidas e insatisfações .
Elas dominam a habilidade de discutir a relação, mas muitas mulheres ainda demonstram receio em falar com seus parceiros quando o tema é sexo. Mesmo aquelas que sabem expressar suas queixas sobre atitudes, hábitos, falta de parceria e rejeição, se sentem pouco à vontade para verbalizar interesses, preferências, fantasias e insatisfações na cama.
Quando chegam ao consultório, mulheres relatam o receio à desaprovação e o medo de magoar quando o assunto é desempenho sexual. E é verdade que nem sempre os homens reagem bem: alguns tentam responsabilizá-las, outros dizem que é difícil satisfazê-las, outros justificam sua postura pelo estresse do dia a dia e há aqueles que simplesmente dizem que o sexo está bom assim.
As raras exceções são os homens que participam da conversa, aceitam, propõe e são parceiros na busca de uma solução para as dificuldades do casal. Porém, suas esposas ou namoradas revelam os mesmos medos ou tabus e se surpreendem com o interesse deles quando elas tomam coragem e rompem o silêncio.
O casal que compartilha fantasias tem uma vida sexual intensa e lúdica. Esse potente estímulo pode levar ao prazer orgástico com pouca manipulação ou carícias. Elas provocam intenso erotismo melhorando o desempenho sexual; aumentando a libido; permitindo que a mulher descubra sua potência sexual e sensual ajudando na autoestima.
Solicitar algo diferente durante a transa pode ser um potente estimulante natural, porque mexe com as fantasias. A palavra exigência está fora desse contexto, no sexo tudo deve ser compartilhado com muito prazer.
O casal precisa conversar sobre os problemas sexuais e buscar juntos a ajuda de um profissional. O apoio mútuo fortalece, facilita o enfrentamento e a resolução das dificuldades. Indico uma leitura do livro “No jardim do Desejo” (Editora Mandarim), sobre as fantasias sexuais femininas.

Autora:  Fátima Protti. Sexóloga

26 de setembro de 2015

Casamento faz bem para a saúde

0 COMENTÁRIOS


Parece óbvio dizer que o casamento faz bem para o casal.
Mas além das alegrias da união, uma pesquisa apontou que homens e mulheres ficam menos aptos a desenvolver depressão e ansiedade após o matrimônio.
Cerca de 35 mil pessoas em 15 países participaram do levantamento, conduzido pela psicóloga neozelandesa Kate Scott, da Universidade de Otago em associação com a Organização Mundial de Saúde e a Universidade de Harvard.
A pesquisa mostrou que casar é melhor para a saúde mental e também física das pessoas de ambos os sexos do que a "solteirice".
Os homens apresentam possibilidade menor de ter depressão no primeiro casamento do que as mulheres.
Por outro lado, o estudo mostra que o fim da relação por divórcio, separação ou falecimento está ligado ao aumento no risco de perturbações, como abuso de substâncias pelas mulheres e depressão nos homens.
Dicas para um casamento ser bem sucedido
Conviver com alguém pela primeira vez não é fácil. Quando se trata de um parceiro com quem você acabou de se comprometer pelo resto da vida, a situação pode ser ainda mais complicada.
A vontade de ser perfeita, de satisfazer as vontades dele e de evitar que ele se arrependa de ter casado com você geram uma tensão desnecessária, quando o que deveria acontecer é os dois desfrutarem e se adaptarem à vida a dois.
Para isso, é preciso justamente que não fiquem juntos o tempo todo. Ou seja, dar espaço ao outro é essencial para que haja aquela vontade de se verem, como acontecia quando não conseguiam se ver todos os dias.
Confira algumas dicas para que nada fuja do controle e o casamento seja um sucesso.
Mãos à obra
A primeira manhã em seu novo lar, hora de dar aquele toque pessoal. Comece a decorar e ajeitar o espaço em conjunto. Fique atenta para não pintar os cômodos de rosa: lembre-se de que a casa também é dele.
Fique sempre linda
Ele ser seu marido não é desculpa para que você se descuide da sua aparência. Toda vez que ele te olhar, ele deve se lembrar por que te escolheu como esposa e companheira.
Autocontrole
Tenha em mente que a convivência pode trazer à tona algumas características dele das quais você pode não gostar. Antes de começar uma briga, respire fundo e tentem chegar num acordo.
As primeiras noites
Provavelmente ele não te olhará tão apaixonadamente como antes, nem com tanto desejo. A rotina e os assuntos da casa podem inibir um pouco a paixão. Não deixe que ela morra: faça surpresas à noite sempre que possível.
Transparência nas contas
É importante, desde o primeiro dia, que as contas sejam bem feitas para que o dinheiro nunca seja um problema. Procure adequar os gastos de acordo com a capacidade econômica de cada um.
Diga "não" às pequenas discussões
Tente não repreendê-lo como se fosse sua mãe e estabeleça tratos e acordos para dividirem a casa, o banheiro e o controle remoto da televisão.
Surpreenda-o
ão perca as pequenas coisas que fizeram com que vocês se apaixonassem. Coloque um bilhete de amor no bolso dele, faça uma visita inesperada, dedique uma canção, prepare uma noite romântica. O importante é manter acesa a chama do amor.
Aceite-o como ele é
Lembre-se de que nem todo o amor do mundo é capaz de fazer com que ele mude alguns hábitos que podem parecer irritantes. Ele já era assim antes de vocês se casarem, e mesmo assim você decidiu juntar-se à ele. Então não tente fazê-lo mudar mais do que ele estiver disposto a mudar.
Não seja possessiva
Só porque você se casou com ele, não quer dizer que agora é dona da vida e do tempo do seu marido. Deixe que ele tenha sua independência e seus espaços. Não proíba que os amigos dele o visitem, nem que ele saia para tomar uma cerveja com eles. Também não pegue no pé se ele chegar mais tarde, porque você também vai querer ter esse tempo para curtir suas amigas.
Sempre amigos
Por fim, nunca deixe de ser sua amiga. Faça com que ele tenha, em casa, tudo o que ele precisar, e procurem se divertir com as mesmas coisas de antes, como viagens, cinema, um passeio, festas. Dessa forma, ele nunca terá que procurar isso em outros lugares ou com outras pessoas. 

Crédito:Luiz Affonso
Autor:Julia Reis
Fonte:Universo da Mulher

21 de setembro de 2015

Dilma é uma assombração que vaga pelas catacumbas do poder!

1 COMENTÁRIOS

Entre janeiro e julho, 850 mil trabalhadores com carteira assinada perderam o emprego. Só no setor industrial foram fechadas 610 mil vagas. Até o fim do ano, a imensidão de brasileiros demitidos neste angustiante 2015 passará de 1 milhão. E, como constata o comentário de 1 minuto para o site de VEJA, em 2016 o horizonte da economia vai exibir tonalidades ainda mais escuras.

Para escapar da demissão antecipada, Dilma Rousseff repete de meia em meia hora que foi eleita por 54 milhões de eleitores. Nesse colosso de gente que luta para sobreviver ao desemprego, centenas de milhares de famílias votaram em Dilma por terem acreditado nas mentiras reiteradas pela candidata ao segundo mandato. Uma delas garantia trabalho para todos ─ e para sempre.

O estelionato eleitoral forjado por uma ilusionista de picadeiro é um dos muitos crimes que tornaram ilegítimo o mandato que acabou sem ter começado. Dilma já deixou de ser presidente. É uma assombração que vaga pelas catacumbas do poder enquanto não vem o impeachment tão inevitável quanto a mudança das estações. Nada pode impedir o fim do inverno. Nem a chegada da primavera.


6 de setembro de 2015

Magnífica Grazi Massafera!

0 COMENTÁRIOS

Além das cenas de nudez, “Verdades secretas” também está bombando nas redes sociais ao abordar o  problema do envolvimento de pessoas bem sucedidas com o mundo das drogas, perdendo-se no diabólico cativeiro do crack. As cenas em que a modelo Larissa, interpretada por Grazi Massafera, foram um dos assuntos mais comentados por internautas na noite desta quinta-feira, 3, no Twitter. E não sem razão. Grazi está simplesmente estupenda no papel da modelo dominada pelo vício, transformando-se em um trapo humano, sem vontade e sem forças para libertar-se das malditas pedras e da cocaína.


A novela escrita por Walcyr Carrasco prima pela forma realista com vem abordando o tema. Merece especiais elogios à brilhante atuação de Grazi. “Novela para adultos, ousada, contundentemente realistra e perfeita! Grazi Massafera, indubitavelmente maravilhosa, afirma-se como a diva incontestável da trama!. 


Não foi apenas a transformação física de Grazi que fez a diferença, mas sim a interpretação segura,  a mudança de comportamento e atitudes da personagem, acompanhando sua degradação, a abjeção das situações que vive no sub mundo das drogas e dos viciados. Magnífica Grazi!

LINDA, CARISMÁTICA, MARAVILHASA GRAZI!

2 de setembro de 2015

Andressa Urach para os crédulos...

0 COMENTÁRIOS


Sem sombra de dúvidas, é compreensível que as pessoas ainda duvidem de tudo que sai da boca de Andressa Urach, afinal, ela mesma confessa a enxurrada de mentiras que disse para conseguir visibilidade na mídia, muitas delas muito graves, especialmente por envolver pessoas famosas, como o jogador Cristiano Ronaldo. Infelizmente, esse seu confessado deslise de caráter não impede que as suas quiçá inverídicas e polêmicas histórias sejam consumidas vorazmente por curiosos ou apreciadores de sensacionalismo. Prova disso é que sua biografia ‘Morri para Viver — Meu Submundo de Fama, Drogas e Prostituição’ (ed. Planeta, 288 págs., R$ 36,90) acaba de ser lançada com uma tiragem de 1 milhão de exemplares e já está esgotada em muitas livrarias. “A editora já teve que repor em diversos locais”, garante (será?) a nem sempre verdadeira segunda colocada no concurso Miss Bumbum, que hoje tem um quadro como repórter no ‘Domingo Show’, da Record, isto mesmo se ter um diploma de jornalista. 

Suas escandalosas revelações envolvem a perda da virgindade com o meio-irmão, orgasmo com um cachorro, envolvimento com bandido, relações lésbicas inventadas e combinada com a mulher e com o paparazos que fotografaram as duas aos amassos, para conseguir ser capa de revistas, além do que ocorreu em seu período internada em coma num hospital. Mas tudo isso não passa de uma desculpa para ela contar o que realmente a fez mudar de vida: a fé. Agora convertida à religião evangélica, Andressa diz que tudo que escreveu e divulgou foi para obter o perdão, se dedicar ao filho Arthur, de 10 anos, e ajudar aos que passam pelas mesmas dificuldades. Que garota santa! Em nenhum momento pensou na dinheirama que iria ganhar, no sensacionalismo na mídia, nos ganhos com a volta ao mundo da fama, perdido depois de ter o corpo deformado pelas cirurgias? O assassino de Daniella Perez também se converteu e se faz passar por uma flor de bondade e virtudes.  

Infelizmente não consigo acreditar em nada do que esta mulher ardilosa diz ou escreve, especialmente depois de tê-la visto em A Fazenda dando shows de mau caratismo, de desrespeito e de exibicionismo (ao ficar totalmente despida, em uma festa, e dando voltas em torno da piscina , para constrangimento dos presentes no evento. Não esqueço as escandalosas aparições dela na Copa do Mundo, querendo forçar uma visita ao Jogador Cristiano Ronaldo, apesar da recusa dele de qualquer aproximação com ela. Não esqueço as barbaridades que ela protagonizou para ser notícia. Se está usando roupas recatadas, se cobre o corpo, é porque não tem condições de exibir as cicatrizes que acabaram com a falsa beleza do seu corpo, cheio de buracos, manchas e flacidez.


Aí segue alguns trechos da entrevista que Andressa deu para um reporter:
Você era uma pessoa ambiciosa e má. Por quê? Seu livro mal foi lançado e já teve uma repercussão gigante. Mas muitas pessoas não acreditam nas histórias contadas porque você já inventou várias situações para se promover. Você afirma que nada ali é fruto da sua imaginação? 
Tudo é 100% verdade. Uma pessoa que acredita na palavra de Deus não pode mentir. São assuntos polêmicos, entendo que as pessoas duvidem, eu também duvidaria de mim. Antes, queria esconder meu passado, fiquei louca quando me chamaram de garota de programa no reality ‘A Fazenda’, mas agora conto a verdade como uma forma de me perdoar ( Vai vendo como a garota ficou humilde e mansinha. Logo mais vai estar pregando a palavra de Cristo, como Pastora Evangélica!).
Durante seis anos, fui muito ruim e paguei por isso. Quanto mais famosa, mais disputada eu era. Sentia prazer de sair com atores, jogadores, estragar casamentos como amante. Tive três overdoses, relacionamentos com bandidos, vi que a morte estava na minha frente. Depois, vi que é possível mudar, sim. (Esqueceu que fazia trabalhos de macumba em terreiros para obter fama e dinheiro, como revelou em entrevista a Sônia Abrão?)

Você conta que gastou mais de R$ 1 milhão em tratamentos estéticos. O que sobrou do dinheiro que ganhou com a prostituição? 
Cheguei no auge com o corpo perfeito, carro importado, cobertura no Rio. Mas nunca coloquei na ponta do lápis. Agora, baixei meu custo de vida. Troquei minha BMW que valia R$ 120 mil por um Fluence, de R$ 60 mil. Mas ainda tenho três apartamentos. Também deixei de jantar em restaurantes caros, com conta de R$ 500, para comer em casa com meu filho. E olha que eu mesma que cozinho. (Ai, que coisita mais cut,cut!)

Com a vida mais humilde, não dá vontade de voltar ao luxo? Como se sustenta? 
Com a minha conversão (à religião evangélica), vi que quando você entra na coisa errada, não consegue sair. Me sujeitei a coisas nojentas porque ganhava mais por elas, eu focava e mentalizava: ‘Pensa no dinheiro, pensa no dinheiro’. Hoje, passo longe do que me fez mal, noitadas, álcool, drogas. Não vou mais me corromper. Sou contratada da Record e tenho uma coleção de roupas. Ganho metade do que faturava, não se compara ao que eu ganhava, mas vale a pena.

O abuso que você sofreu na infância deixou muitas marcas. Mas achei meio mal explicado no livro. Como, de fato, esse homem que você considerava um avô abusou de você? 
Digo que perdi a virgindade com meu meio-irmão porque não considero o que aquele homem fez como perda da virgindade, mas foi com os abusos dele que houve a ruptura do hímen. Ele colocava os dedos na minha vagina, houve penetração com o pênis, sim. Mas essa violência toda me bloqueou.

Você é muito vaidosa. Acha que vai ficar com vergonha quando os homens virem suas cicatrizes? 
Me sinto totalmente mais bonita com as cicatrizes. Olho para os buracos na minha perna e penso: ‘Que bom que aconteceu tudo isso.’ Agora, exalto meu sorriso, que acho lindo. Já me ofereceram para eu operar as cicatrizes, mas não quis. Chega disso! (Também acredito em Papai Noel.)

Você disse que já pensou em se matar. Mas, de fato, você tentou alguma vez? 
Já estava envolvida com drogas, quebrei copo na cara de meninas. Pensava em me matar, tomar remédios. Mas nunca fui às vias de fato. Fiz até seguro de vida porque sabia que de alguma forma eu ia morrer.

Uma história no livro ganhou destaque, em que você fala que teve orgasmo após um cachorro lamber suas partes íntimas. Mas você tinha 11 anos. Você já entendia o que era orgasmo? 
Eu não sabia. Descobri o que era prazer com o cachorrinho. Porque eu tinha 11 anos, nunca tinha tocado naquela região, aí fui brincar com minha amiga que tinha a minha idade e ela me contou que colocava o cachorrinho pequenininho nas partes íntimas. Eu também quis fazer e senti prazer, porque o cachorrinho lambeu meu clitóris ali, e eu descobri o clitóris. Senti o prazer através daquilo. Aí acabei dormindo vários dias na casa da minha amiguinha, fazia questão de dormir lá (risos). A gente ri, mas é horrível. Que vergonha falar um troço desse.

Você também já fez sexo em grupo com jogadores. Você acha que eles são infiéis e adoram orgia? 
Jogador tem a coisa da ostentação, do ego. A maioria é infiel. Eles vivem em ambientes com muita mulher, muita festa. Eu fazia o meu trabalho. Eles adoram orgia. A gente topa, mas eles nem dão conta. Eu transei com três homens ao mesmo tempo. Mas cheguei a fazer sexo com sete num mesmo dia. E transei com mais de mil no total.

    20 de junho de 2015

    É dureza aturar Tatá Werneck!

    8 COMENTÁRIOS
    VALDIRENE
    DANDA
    Protagonista da nova novela das sete, “I Love Paraisópolis”, a atriz e humorista Tatá Werneck ironizou algumas críticas que vem recebendo por causa da sua dicção em cena. As reclamações são de que o que ela fala não é compreendido pelo público. Em vez de ironizar sua insuportável falha, deveria ter a humildade de reconhecê-la e procurar travar a sua metralhadora verbal. Ô mulherzinha chatinha!
    Antes de mim, o jornalista Flávio Ricco já havia destacado que suas falas são de difícil compreensão, por falar muito baixo e, ao mesmo tempo, com excessiva rapidez. O que é inadmissível em novelas, filmes e teatro. Flávio Ricco chegou a ironizar a comediante, ao dizer que as cenas em que ela aparece necessitam de legendas para um melhor entendimento. Concordo inteiramente com ele.

    Além disso, na quinta-feira, dia 14, a jornalista Patrícia Kogut, do jornal O Globo, deu nota zero para a atriz, dizendo que os telespectadores não entendem o que ela diz na trama, por causa da sua dicção. 
    Tal defeito já era incômodo na novela Amor à Vida, na qual fez o papel super histriônico de Valdirene, uma garota mentalmente limitada que só dizia e fazia asneiras. O que está acontecendo é que a personagem Danda de I Love Paraisópolis não passa de um clone mal acabado da indigesta Valdirene, especialmente por que ser cômica em algumas situações, repetindo as mesmas sandices da maluquete de Amor à Vida. Só falta meter-se num salto alto e andar cambeta como a sua antecessora. Não é somente a personagem que apenas mudou de nome em I Love Paraisópolis, na trama ela vive situações bem semelhantes as da novela anterior, como ter dois homens disputando o seu amor, e ela fazendo joguinho com ambos, Danda é tão sem noção quanto Valdirene, burrinha comilona, interesseira e abestada como Valdirene. Ai, que canseira é aturar a talzinha Danda!
    De acordo com o colunista de televisão Flávio Ricco, a atriz já tem recebido ajuda de um fonoaudiólogo, especialista em dicção, para corrigir o problema. Parece que não tem aprendido nada, pois continua com o acelerador ligado, atropelando o texto. 
    Enfim, Tatá Werneck está no lugar errado. Se gosta de ser apalhaçada e sem noção, deveria ser despachada para o ZORRA TOTAl! A atriz, além de feiosa e sem charme, é "Monocórdica! Uma personagem só! I Love Paraisópolis é a segunda novela que faz. Parece ter incorporado a personagem da primeira e não consegue ser versátil, recriar-se para o novo papel... Parece achar que ser atriz é ser chata, careteira, repetitiva e atoleimada. 
    I Love Paraisópolis é mais um fiasco novelistico da Globo. É arrastada, a trama é pobre, o núcleo da Favela é um porre, um festival de situações repetitivas, um amontoado de marginais cheios de gogó e, o mais curioso, nunca aparecem policiais no pedaço onde manda o caricata chefão explorador Grego. Bem, a novela é péssima. Mas, o que me incomoda mesmo é a presença tediosa e ridícula de Tatá Werneck. 
    Eu que pensava que Babilônia era a pior de todas, agora já a vejo sem tanta rejeição. Pelo menos temos um elenco de peso que sabe o que seja a arte de representar. Só há uma personagem que abomino: a interpretada por Camila Pitanga. A atriz exagera na gritaria, nos barracos sucessivos por qualquer motivo, é sem classe, escandalosa, mal educada, grossa e antipática. É o tipo de mulher que quero ver sempre bem longe de mim e do meio que frequento. O advogado que a namora e é tratado a patadas é areia demais para o caminhãozinho da desvairada. Babilônia não é tão destituída de conteúdo. Depois comentarei esta novela e a maravilhosa Os Dez Mandamentos (Record).

    19 de junho de 2015

    Propaganda enganosa...

    0 COMENTÁRIOS


    Há semanas vem sendo mostrado na Record um comercial do produto de beleza Cicatricure, que promete, dentre outros miraculosos benefícios acabar com as rugas do rosto, deixando a pele incrivelmente rejuvenecida. O comercial tem todas as características da propaganda enganosa, a começar pela apresentadora da estupenda fonte da juventude: a cinquentona Xuxa Meneguel que aparece com um rostinho de uma adolescente , dengosinha, fazendo caras e bocas de ingênua grotinha. Usaram no rosto e pescoço da cinquentosa produtos milagrosos que nada tem a ver com o creme anti- idade que tenta vender para as crédulas telespectadoras.

    Eu teria vergonha de aparecer com uma aparência que há décadas já não tenho na propaganda de um produto que jamais seria capaz de rejuvenecer as mulheres como Xuxa se mostra na filmagem enganosa.  Sabemos que há produtos de maquilagem que fazem uma espécie de máscara rejuvenecedora, muito usado nas novelas para melhorar a aparência das atrizes e atores. Com tal argamassa no rosto, somada aos recursos dos filtros, fotoshop, iluminação adequada e outros truques é possível ver Ana Maria Braga com aquele rosto botocado, cheio de preenchimentos e muita "massa corrida" e Xuxa transformada numa adolescente. 


    O resultado dessa palhaçada cosmética é o descrédito do produto Cicatricure. Marília Gabriela o apresentou muito tempo sem cair nesse ridículo abominável. 
    Amanhá, sábado, Xuxa vai ser entrevistada por Rodrigo Faro. Já vi algumas cenas... O rostinho da embonecada está bem estragadinho, o pescocinho denuncia a idade real. 



    30 de maio de 2015

    Perto da prosódia troncha de Dilma Rousseff, Lula é um Machado de Assis.

    0 COMENTÁRIOS

    Leiam o recado de Celso Arnaldo Araújo, o jornalista que descobriu o dilmês:
    Algum dia ela governou o que diz? Esta coluna, desde o “Pra mim sê pré”, de 2009, é a prova abundante — talvez a única e mais legítima — do vergonhoso despreparo da presidente, para o qual, só agora, se voltam a atenção e o espanto (inter)nacionais.
    Não, não é insanidade mental — que ela e seus mantenedores são bem espertos. Os mexicanos a editam, a bem da inteligibilidade da chefe de estado de um país amigo. A companheirada do Portal do Planalto simplesmente a transcreve, sem tirar nem pôr, dando um olé no Brasil que pensa.
    É ignorância no seu estado mais bruto, mais insuperável, o ponto mais baixo da República brasileira. A nossa Dilma.
    A expressão “Pra mim sê pré” aparece no post publicado em 2 de dezembro de 2009. Vale a pena revê-lo:

    DILMA, O EU E O MIM

    Ainda convalescendo do espanto, transfiro para o Direto ao Ponto o comentário do jornalista Celso Arnaldo que acabo de ler. Segurem-se. (AN)
    Há imagens que não falam por si e áudios que dizem tudo.
    Ligo o rádio do carro, hoje cedo, e ouço o locutor anunciar que Dilma – embora tenha começado a aparecer na TV com a pompa e a circunstância de presidenciável, nos primeiros teasers de sua campanha – ainda não se considera candidata do PT à sucessão do Lula, aliás sequer pré-candidata. Entra o áudio de Dilma, naquele inconfundível “um tom acima”:
    - Pra mim sê pré….
    Para por aí. Não interessa o que vem depois (“…tenho que passar pela convenção do PT”). Esse “Pra mim sê pré” poderia ser, quando nada, a mais curta e cruel (contra seu autor) frase internada no Sanatório. E, se eu tivesse tempo e interesse, seria o título, o mote e o resumo de uma longa tese de mestrado sobre o mais absoluto e chocante equívoco político da história de nossa República.
    “Pra mim sê pré”: quatro monossílabos, cada qual contendo um erro essencial ou uma corruptela vulgar. Mas o “pra mim ser” ultrapassa qualquer barreira da desarticulação linguística. Eu, se sou RH, desclassifico na hora o candidato a vaga de assistente administrativo que diga “pra mim fazer” – mesmo que tenha quase mestrado e quase doutorado no currículo. Porque é erro incorrigível – já integra a estrutura mental de quem acha que mim conjuga verbo.
    Por experiência própria, pessoas que falam “pra mim fazer” falarão “pra mim fazer” a vida toda, mesmo sendo corrigidas a vida toda.
    No caso de Dilma, a prosódia troncha, de mineira de fachada, ainda transforma o ser em “sê”, o que dá à frase uma conotação sonora sincopada, meio mística.

    “Pra mim sê pré”: um mantra à suprema ignorância humana.

    Autor: Celso Arnaldo

    Volto para o curto registro: perto de Dilma Rousseff, Lula é um Machado de Assis. (AN)
    Fim do post de 2009. De volta a 2015, reitero sem nenhum prazer que a cabeça de Dilma Rousseff — um deserto de ideias habitado pelo neurônio solitário — é exposta por esta coluna há cinco anos e meio.
    Nós todos sempre soubemos que o titanic lulopetista avançava na direção do iceberg. Não foi por falta de aviso que tantos brasileiros autorizaram nas urnas a consumação do naufrágio político, econômico e moral.

    A. Nunes (Veja)