16 de janeiro de 2013

Saiu a protagonista da edição... Pena!



Não me surpreendeu a eliminação de Aline, pois acompanhei as enquetes e as opiniões de muita gente nos blogs que frequento. Portanto, já esperava. Nem por isso lastimei menos a saída da única negra da edição. E não é uma negra inexpressiva. Ao contrário disso, Aline é uma bela mulher, interessante em suas tiradas, em suas pérolas, em sua maneira “Penha” de ser, como a que soltou ao entrar na casa do BBB13: “
Para entrar na Globo tem que dar pra alguém, não dei pra ninguém, não fiz macumba... como vim parar aqui?". Logo aí ela me conquistou e me fez experienciar uma incômoda ambivalência em relação aos meus sentimentos para com ela, sempre à beira de um paradoxo: Aceitação e rejeição, simpatia e antipatia. Mesmo assim torci muito para que ficasse na casa. Seu protagonismo ousado, sua inquietação, sua coragem de peitar veteranos, de criticar suas atitudes, a intensidade com que se expressava, fazia dela uma participante ímpar, indispensável no programa.
Mesmo apreciada por muitos fora da casa e tendo a simpatia de outros tantos dentro da casa, Aline foi eliminada. É uma pena! Sua saída não será benéfica para o programa que ficou sem uma participante divertida, agitada, polêmica e linda!
Não consigo compreender porque o público preferiu eliminá-la, salvando um homem sem graça, paradão, incolor, inodoro, insípido e chatinho. Pode ser inteligente, culto, boa pessoa e coração “bão”. Certo. Mas essas qualidades não são tudo em um reality show. Logo mais ele estará em outro paredão e não escapará, simplesmente porque não tem perfil de um Big Brother. Trocaram o caldo quente e temperado por um aguado picolé de chuchu.
 
 

Nenhum comentário :