30 de outubro de 2010

Deus criou a mulher, a mídia criou Geisy Arruda


Ainda não faz um ano que Geisy Arruda sofreu uma sórdida e covarde agressão pela turba enfurecida de universitários hipócritas e metidos a trogloditas. Todavia, o tsunami destrutivo da malta ensandecida contra a garota “do vestido rosa pink” não teve o resultado que esperavam seus agressores: o tiro na boa fama da garota, que pensavam certeiro, saiu pela culatra... Tiveram que pagar uma gorda multa à vítima das suas grosserias infames e, também, amargaram o conceito do estabelecimento de ensino superior jogado na sargeta.

Quanto à Geisy, a mídia se encarregou de pôr sobre ela os holofotes da fama, fazendo dela um foco de atenções, abrindo-lhe espaço em programas de TV especializado em escândalos e fofocas sociais, nos quais ela teve a chance de contar a sua versão dos fatos, de tornar-se conhecida, ingressando no universo provisório da fama instantânea.

Alguns acusaram-na de ser oportunista. Não concordo com isto e indago: qual a garota pobre que rejeitaria a oportunidade de melhorar a sua apagada vidinha, aceitando o aceno da mídia para “aparecer”? Afinal, quem deu a oportunidade à Geisy foram seus detratores. Ela não pediu para ser agredida, tampouco foi quem fotografou tudo e noticiou o escândalo na imprensa falada e escrita.

Geisy soube aproveitar a chance que lhe foi dada. Melhorou a aparência, cuidou da imagem, ficou mais bonita e, como seria de esperar, foi convidada para posar para a revista Sexy de novembro, logo mais nas bancas. As fotos, feitas em Punta del Este, ficaram bonitas e, até agora, não vi nenhuma que fosse mais ousada que as de dezenas de outras jovens que posam para este tipo de revista. Pessoalmente, não aprecio este tipo de exposição... Mas não condeno quem as faz.

À reportagem da Quem, Geisy disse: “todos achavam que eu iria sair nua e usaria meu corpo para ganhar dinheiro”. Primeiro ganhei dinheiro sem usar a minha sensualidade”. Acrescentou que resolveu posar por causa da situação financeira que não permitia que comprasse uma casa para os pais saírem do aluguel. O cachê da revista não foi suficiente para efetuar tal compra. Todavia, juntando o que ganhou com o que lhe rendeu os direitos autorais de sua biografia (que será lançada em novembro) e com a indenização da UNIBAN, será possível comprar um bom imóvel.

A temporada de Geisy em A Fazenda serviu para que eu a avaliasse melhor. O que vi naquele antro de fofocas e intrigas foi uma moça simples, bem humorada, humilde, sem nada da imagem de mulher de programa, provocadora, sem moral e escandalosa que a turba canalha da UNIBAN tentou passar para o público. De certo modo, Geisy pareceu-me até ingênua e criançona. Pena que o público a tenha eliminado, pelo menos antes de um magote de samambaias mexeriqueiras, medíocres e falsas que tecem as piores intrigas no programa.

4 comentários :

TDM disse...

Concordo na íntegra!
A guria estava na del e foi transformada num monstro...
bjk

Anônimo disse...

Também achei uma pena ela ser eliminada tão no começo,acho que randeria bastante.Ela é inteligente,a do gropo que consegui ler melhor o jogo,tds perceberam tanto que passaram a respeitá-la e lhe dar mais atenção.Mostrou-se tb muito leal e justa.Gostei da menina, e ola que era a mais novinha de todo o elenco.

Eva-RN disse...

Anônimo
Acredito que a passagem de Geisy pelo reality foi uma ótima oportunidade para o público conhecê-la melhor.

Eva-RN disse...

Jane

Poisé, saiu Geisy e a abominável fofoqueira Melancia vai ficando.