5 de junho de 2014

O baixa qualidade das apresentadoras da Tv aberta.


É espantosa a baixa qualidade dos programas da TV aberta, especialmente aqueles cujas apresentadoras não tem um pingo de conteúdo, classe e inteligência suficiente para conquistar um público mais exigente em questões de qualidade. Dentre todas as apresentadoras que atuam no momento, a única que merece a minha atenção é Fátima Bernardes e seu ótimo programa “Encontros”, levado no horário da manhã. Inteligente, simpática, estilosa, refinada e culta, Fátima destaca-se em meio às aberrações que desfilam nas várias emissoras. Também faço justiça à Regina Casé que, no estilo de programa que lidera, é divertida,  e faz bem o que se propõe a fazer, além de Angélica em seu interessante "Estrelas". 
Ana Maria Braga em o “MaisVocê” é de uma chatice torturante, especialmente quando se mete a fazer discursinhos de auto ajuda, prodigalizando uma filosofia barata de almanaque dos anos cinquenta do século passado. Diz muitas asneiras e por não ter o desconfiômetro ativado já disse inconveniências sérias, graças às quais levou processo. Que se ativesse apenas às panelas, sem querer passar a falsa imagem de mulher culta que está longe de ser. E o que dizer das perucas medonha que usa? Que é de um mau gosto tão alarmante quanto o figurino que usa.
Livramo-nos da eterna adolescente Xuxa, depois de aturarmos aquela vozinha infantilóide bancando a menininha. Figura caricata, com poucos conhecimentos de língua portuguesa, por isso mesmo, uma vergonha ao se expressar (tu vai, tu pode, tu gosta...) assassinando a concordância e verbalizando toda sorte de vícios de linguagem e besteróis típicos de quem não tem o hábito de “pensar”, de ler e de buscar o aprimoramento dos conhecimentos. Já saiu tarde!
Não muito diferente da tola Xuxa é a mega abobada Luciana. Esta pontifica, graças ao marido influente na RedeTV, um programa espantosamente avacalhante, no qual ela se pavoneia ridiculamente arrotando uma competência que inexiste. Faz dó ver o festival de asneiras que diz essa alienada figura. Deve ser muito apreciada pela classe C e D. 
Eliana é outra chata de galochas, um prato indigesto para quem procurar algo interessante para ver. Nem merece longo comentário. Faz programa para as mesmas pessoas que apreciam Luciana, Xuxa e Ana Maria Braga e a superficialíssima Galisteu.
Mas, por mais fracas e sem interesse que sejam as antes citadas, nenhuma consegue ser pior que Sabrina Sato. Esta é uma agressão ao bom gosto e a sanidade mental dos telespectadores. A mulher tem uma voz de gralha histérica, um timbre de taquara rachada e nunca aprendeu a falar: ela grita, berra e gargalha como uma alucinada. E como diz asneiras, como fala errado... É um Deus nos acuda! Além de toda essa carga explosiva de idiotice, a mulher cultiva na testa enorme uma verruga vermelhuda, na certeza boçal de que tal anomalia é o seu charme, conforme afirma. Tenho imenso nojo de verrugas. Não suporto olhar para a cara da tal japa sem sentir asco. Coitada da Record... pagar tanto para ter uma apresentadora sem nenhuma aptidão para liderar um programa de qualidade. O que Sabrina tem para dar, senão fazer palhaçadas, exibir sua sacrossanta burrice e balançar o trazeiro metido em roupas apertadas? É a treva! É a decadência galopante da TV brasileira... Ainda bem que temos a TV paga, com programas liderados por mulheres com conteúdo, como Marilia Gabriela, como as quatro mulheres que apresentam o Saia Justa, além das âncoras do Fala Brasil, dentre outras que se destacam pela inteligência, pelo comedimento, pela classe como se apresentam.

Um comentário :

Jane disse...

Cá entre nós, a Fátima é um saco !!!
bjk