30 de agosto de 2010

Sexo e sexualidade

2 COMENTÁRIOS


A humanidade, mais do que nunca, encontra-se perdida e desolada, desorientada, desgovernada na questão que não quer calar, e nunca quis, na verdade, e que diz respeito ao sexo ou a uma interpretação dúbia quanto à sexualidade e a todos os conceitos que a ela se referem. Convido a todos para uma reflexão através das palavras a seguir. 

Falamos de sexo quando, na verdade, queremos falar de amor ou de sexualidade, quando queremos simplesmente falar de relações sexuais. Dizemos em alto e bom tom e para quantos quiserem ouvir o que sentimos ou deixamos de sentir quando nos relacionamos sexualmente com alguém. Manifestamos, levianamente, nossas proezas e nossas deficiências neste âmbito sem ao menos nos importarmos se dizemos a verdade ou não, se expomos um verdadeiro sentimento ou se relatamos a veracidade do que cremos ou percebemos a cerca do objeto que agora comentamos. 

Podemos afirmar seguramente que o homem da atualidade, nada diferente do da antiguidade, tem inúmeras e infindáveis dúvidas sobre o sexo e suas complexidades. Os machões declarados bradam aos quatro ventos sua virilidade incontestável e sua capacidade de realizar os sonhos das mulheres que encontram pelo caminho e em contrapartida as mulheres que nada têm de declaradas, entretanto insatisfeitas e pouco realizadas, vêm atrás contestando tal bravura ao jogarem no ar para quem queira ouvir o quanto estão perdidas e mal servidas na busca de realização sexual. 

O que deve ficar claro aqui mais uma vez é que, pautadas em conceitos dos de menor calibre possível, em decorrência da má informação que recebem na infância e na juventude e também dos meios de comunicação que conseguem acessar, os quais têm o dom incomparável de deturpar ainda mais toda e qualquer mensagem neste sentido, as mulheres vêm se comportando desvairadamente. Guiadas por um viés de vulgaridade nunca antes visto, se declaram profundas conhecedoras e dominadoras de um dos mais sublimes e encantadores recursos que dispomos para irmos ao encontro de nós mesmos e com a paz e felicidade que tanto procuramos. 

Revistas e jornais, programas de TV e cursinhos de todos os tipos, trazem em seu conteúdo o produto mais vendável da atualidade. Descobriu-se um grande filão no sexo e dele se extrai grandes riquezas com temas como: "Dicas para isso ou aquilo que promete aumentar seu desempenho sexual, ou para fazer alguém enlouquecer de amor por você" e por aí vai, como se houvesse uma receita padrão para isto. 

Não obstante a tantas controvérsias, podemos afirmar que uma sexualidade bem compreendida, cuja direção seja bem guiada, conduz a um sexo de altíssima qualidade e capaz de gerar, além de tantos outros benefícios, saúde para quem o pratica. 

Por outro lado, o sexo praticado por quem não dá a mínima para a sua sexualidade, que não a enxerga como caminho para um bem estar pleno, mapeado pelo autoconhecimento e objetivo de vida acima de tudo, pode gerar enormes conflitos e em virtude disso, uma constante sensação de vazio e infindável busca por parceiros que aceitem se responsabilizar por uma felicidade que deveria por princípio ser responsabilidade de quem a procura. Explicando melhor, quero dizer que sexo virou uma obrigação do comportamento humano tanto quanto o tão almejado e incompreensível orgasmo do qual muito se ouve falar, e o qual pouco se sabe sentir na plenitude. 

Ainda aqui, digo que sem um conhecimento profundo da nossa individualidade e da nossa sexualidade como um todo, jamais seremos capazes de viver um sexo refinado e permeado de sensações descritas por aqueles que dominam o assunto e que embasam seus atos em primeiro lugar na sua moral intima, na moral voltada para si mesmo e quase no mesmo plano, em uma moral que não condena, mas que esclarece, apura e faz com que o outro também enxergue seus benefícios e deles queiram usufruir. 

Em uma moral que rege em primeira instância os movimentos da alma humana e que permite que o sexo seja desfrutado da melhor maneira possível. Onde nada é pecado, onde tudo é permitido, onde nada é sequer julgado, porque não e visível aos olhos de qualquer um. 

Sexo é realmente uma delícia, talvez a maior de todas que Deus poderia inventar, mas como toda delícia do mundo pode estar coroado de prazeres se usado na medida certa e com a melhor das intenções ou fazer parte de um time de ingredientes indigestos que nos levarão a um mal estar generalizado cujo poder de nenhum antiácido é capaz de dissolver. 

Dicas verdadeiras para um sexo pleno e recheado de prazer, de entrega, de alegria e muita elevação espiritual (e isto deveria ser levado em conta também), podem estar contidas dentro de você. Se conheça melhor, faça escolhas inteligentes para a sua vida, conheça o seu corpo, seus sentidos e suas sensações, proporcione-se prazer, comunique-se abertamente com seu parceiro sinalizando para ele o que gosta de sentir, como gosta de ser tocado e o que pode oferecer, busque dentro de você todo o potencial que pode utilizar quando estiver com alguém. 

Não se deixe levar pelos padrões de comportamento sexual estabelecidos por quem os usa comercialmente. Seja autêntico e, principalmente, ame muito o momento onde o seu sexo e a sua sexualidade estiverem envolvidos. Estabeleça princípios para uma vida onde nada é proibido, porque tudo é permitido a partir do momento em que decidir o que quer fazer com a sua vida.
Namastê. 
___________________________________ 
Jussara Hadadd é terapeuta holística,
especializada em sexualidade 



                                                              

20 de agosto de 2010

O que é ser mulher????

1 COMENTÁRIOS
Bem, resolvi escrever sobre algo que é bem polêmico e um pouco delicado de se falar, mas ai vou eu. Se a gente olhar a imagem da mulher de ontem e a de hoje o que vemos? Eu vejo uma mulher que não está sabendo valorizar as conquistas que teve e confundindo todas as bolas.  Antigamente uma mulher não tinha direito de nada, acho que nem de respirar, e muitas das conquistas que conseguiram depois de tanta luta, como voto, poder trabalhar, ter direito de estudar... enfim, tudo isso foi necessário pois uma mulher quando se casava e não tinha um casamento bom,tinha que aguentar todas humilhações que sofria por não poder voltar para as casas dos pais, e por ser sustentada por seu marido, claro isso teve suas conseqüências, mas enfim, hoje uma mulher pode trabalhar e estudar, se tornou como dizem” Uma mulher independente e resolvida” , mas até que ponto essa figura de mulher independente e resolvida é boa e coerente? 

Eu particularmente acredito cada vez mais que a mulher de hoje vem destruindo e deteriorando cada vez mais sua imagem e suas conquistas, estão se contradizendo em muitas coisas, onde confundiram liberdade com libertinagem, e que querem mostrar a todo custo é que hoje são mil vezes superiores aos homens, por poder fazer tudo que fazem e ainda de salto alto, como dizem por ai, mas não é o que atualmente acontece. O que vemos hoje são mulheres que perderam totalmente o amor próprio, perderam seu valor e estão cada dia mais perdendo sua honra e sua dignidade, lembrando que isso não é uma generalização, é apenas vamos dizer a parte podre da história que infelizmente está apodrecendo o resto da cesta. Outro ponto que em minha opinião talvez seja o motivo pra esse caos todo estar acontecendo, é aquela velha disputa de querer se igualar ao homem em tudo que ele faz, incluindo suas atitudes que é o que acabou levando por água a baixo tudo que lutaram anos pra conseguir. 

Realmente tem muita coisa que homem pode fazer e mulher não, mas o que não entendem é que esse desejo de se igualar absolutamente ao homem não irá acontecer nunca por vários fatores, o homem é totalmente diferente de uma mulher, e vice e versa, a mulher tem suas qualidades, defeitos, atitudes e particularidades diferentes assim como o homem têm os dele, isso faz com que essa teoria de se igualar já comece com um furo, o certo seria que cada um dos sexos começassem a parar de disputas e se ajudarem entre si, mas enfim talvez isso não aconteça também. 

Eu acho legal e necessário o desenvolvimento que a mulher teve em alguns aspectos, mas não em todos, como eu citei acima, pra mim a igualdade de atitudes é lamentável. Mas ai lá vem aquela frase,” ah mas se eles podem nós também podemos”. Nem sempre, a mulher com o desejo insaciável de se igualar e as vezes até por sensação de poder e vingança está fazendo é papel de ridícula e se tornando mil vezes pior quem tanto elas criticaram a vida toda e ainda criticam, como eu disse anteriormente confundiram liberdade com libertinagem, e hoje tudo está como vemos. 

Uma mulher pra ser mulher não precisa de auto afirmação dela e nem de ninguém, e quando ligamos a TV, vemos revistas o que vemos ali escancarado aos nosso olhos são um monte de moças que fazem tudo pela sua beleza (Lembrando que se cuidar,ser vaidosa é uma coisa, agora ser completamente obcecada por beleza achando que isso é única coisa que importa na vida é outra bem diferente) que usam seu corpo pra conseguirem as coisas achando que isso é um grande mérito,vendem sua dignidade e seu corpo por dinheiro quando pousam nuas em revistas, apenas pra ganharem o titulo de A MAIS GOSTOSA DA MÍDIA DO ANO, fazem o que for preciso para chamarem atenção caindo no cumulo do ridículo e vulgaridade,e ainda depois de tudo isso ao fim do dia reclamam que não encontram homem que preste e que dêem o devido valor a elas. 

Mas como vão encontrar quem dê valor á elas se elas mesmas jogaram fora sua dignidade?Só podemos exigir aquilo que podemos retribuir da mesma forma. Ah e agora "mulher que é mulher não trai, apenas se vinga com o que aprenderam com os homens!"... Interessante, pra mim traição será sempre uma traição independente do sexo e do que seja sempre será uma traição, declarações do tipo só servem como desculpas pra justificarem coisas erradas, claro mulher independente e bem resolvida não pode ficar por trás de homem nunca, será realmente que foi essa a intenção de tudo? Eu acredito que não, mas infelizmente a história tomou outro rumo e se esqueceram dos verdadeiros princípios do que é ser realmente uma mulher. Algumas mulheres têm a justificativa de que fazem o que fazem pra quebrar as regras e os padrões moldados pela sociedade talvez machista na visão de muitos, mas uma coisa não tem nada haver com outra, se auto vulgarizar em várias situações não parece uma escolha inteligente e coerente de combater as críticas da sociedade. 

Esse ano mesmo estava eu voltando do trabalho com uma amiga dentro do trem, ai entrou duas meninas que tenho certeza que não tinham mais de 13 anos no máximo, e as duas sozinhas, uma estava com a barriga totalmente a mostra apenas a blusa cobria a parte dos seios mesmo, a outra pior ainda com aquelas micro saias rodadas conhecidas aqui na minha cidade como saias de piriguete, a menina de saia estava com metade da bunda de fora,sem brincadeira e exageros, ainda mais aquele tipo de saia rodada que quando vai andando o vento bate e vai levantando tudo, pois é elas sentaram juntas e a de saia ainda sentou com a perna todinha aberta,claro chamou atenção do Trem inteiro e principalmente dos homens, quando foram levantar pra descer não teve quem não viu a bunda da menina de saia, e na hora que iam saindo pela porta os rapazes todos correram pra janela pra olhar, ai acredito que a menina deve ter visto isso e começou a gritar que nem uma louca como se ela estivesse abafando, quando o trem começou a andar, só ouvi os comentários dos mesmos rapazes comentando” Nossa que vadias, piriguetes mesmo”...um outro comentou “È verdade, só olhei porque não tem como olhar, mas muito vadiazinhas mesmo...” Enfim, foram mais ou menos os comentários, ou seja enquanto meninas e mulheres caem no ridículo e no cumulo do vulgar, achando que assim chamam a atenção dos homens pra dizer “Olha como sou gostosa”, elas conseguem chamar atenção deles, mas que eles achem isso bonito em uma garota , ah isso não acham não, agora me digam que tipo de homem que uma garota que se comporta dessa forma vai atrair pra vida dela? 
O engraçado é ver depois elas achando que têm o direito de exigir homem decente e que as tratem como verdadeiras princesas, os homens tratam uma mulher da mesma forma que ela se trata, se ela mesma se trata como uma “Piriguete” como quer exigir que a tratem bem? Eu acredito que se as coisas continuarem como estão quem vai sair perdendo mais nessa história toda é a mulher, alias já está perdendo apesar de acharem que estão arrasando, o mais chato é ver que esse tipo de mulher acaba sendo moldada como a imagem de todas as mulheres e muitas terem que ser colocadas no mesmo saco por conta da outra parte que está sujando a imagem. Estão se saindo melhor do que encomenda,como já citei, estão agindo mil vezes pior a quem elas tanto criticaram e criticam até hoje,elas próprias estão se desvalorizando mais a cada dia . 

E agora, o que é ser mulher de verdade??? 
Bem isso foi apenas um desabafo, mas quero deixar bem claro que em momento algum,eu quis defender o homem e suas atitudes, estou criticando é a postura da mulher de hoje que acredito que se contradiz totalmente com suas reivindicações, e em momento algum generalizei, como já citei apenas fiz uma critica em relação do que vemos por ai, e infelizmente tem muita mulher desmerecendo esse dia 8 de março, apesar de eu não me considerar melhor do que ninguém por ser mulher,mas é um fato histórico , e acredito que muitas mulheres desconhecem o que foi realmente esse dia. 

Não confundam LIBERDADE com LIBERTINAGEM, são duas coisas completamente distintas, o que a mulher lutou pra conseguir foi LIBERDADE , agora LIBERTINAGEM é outra coisa e está muito longe de ser uma liberdade saudável, é essa confusão dos sentidos que complicou tudo e as coisas chegaram a esse ponto. 
__________________________
Autora: Dayanna Alencar
http://http://meucantinhodesonhos127.blogspot.com/