19 de maio de 2013

A Expressão eufêmica "A Melhor Idade" é puro deboche...

0 COMENTÁRIOS

Sou uma mulher com mais de sessenta anos de idade, de bem com as rugas, com os cabelos brancos e com as limitações físicas naturais nos sexagenários. Sou, portanto uma pessoa da terceira idade, ou melhor dizendo, uma pessoa “velha”. Sim... A palavra certa é esta: “velha”, como foram a minha mãe e minha avó, com muita dignidade e elegância, sem problematizarem os efeitos da passagem dos anos, sem lançarem mão de eufemismos idiotas para disfarçarem a indisfarçável velhice, como a abominavelmente hipócrita expressão “melhor idade” para nomearem o grupo etário no qual se integravam. Na época delas, este tipo de eufemismo ridículo não existia, da mesma forma que não haviam ainda criado outros igualmente cretinos como “deficiente visual” (cego), “afrodescendente” (negro), “funcionária do lar” (empregada doméstica), e centenas de outros, dentre os quais figura o deletério “melhor idade”. Execro essa abominável expressão, decerto criada por um jovem destituído da mínima noção da realidade dos velhos, sem nenhum resquício de sensibilidade para perceber as imensas e crescentes perdas e limitações que causam dor, frustrações, sofrimento, tristezas e solidão nos idosos.

Como pode alguém julgar a melhor idade de um ser humano justamente a faixa etária na qual chegam as dolorosas doenças reumáticas dificultando a locomoção, as falhas da memória causam vexames, a visão, a audição, o olfato e o paladar sofrem alterações, a liberdade de sair sozinha/o começa a ser controlada pelos zelosos familiares, Alzheimer, mal de Parkinson, AVCs, diabetes, pressão alta e colesterol alto são ameaças à qualidade de vida...

Portanto, para mim, a expressão “melhor idade”, além de ser uma lastimável e desrespeitosa ironia, é um deboche abominável! A infeliz expressão “Melhor Idade” não passa de uma execrável hipocrisia de gente piegas, chegada a uma frescurite que, no fundo tem preconceito contra a antiga, consagrada e adequada expressão “velha” e “velho”, tem preconceito contra a “velhice” e, por isso, tenta adoçar com eufemismos cretinos o que sabem ser a mais difícil fase da vida. 

A melhor idade é a infância!  Tempo da inocência, das fantasias, das ilusões e da crença em um mundo mágico e perfeito!


16 de maio de 2013

Onde foi parar o sucesso das "Mulheres Frutas"?!

0 COMENTÁRIOS

Tudo indica que o sucesso bem remunerado das exuberantes mulheres frutas do abundante pomar carioca está em irreversível declínio. Famosas pelos traseirões e peitões avantajados à custa de abundantes próteses de silicone, decotões e micro saias e, principalmente, pelos sensuais rebolados, todas eram muito celebradas em bailes funk e shows em comunidades e cidades interioranas, conheceram bem de perto o sucesso, os altos cachês e a presença na mídia. Mulher Melão, Mulher Melancia, Mulher Morango, Mulher Pera, além da super protéica Mulher Filé faziam a festa dos machos deslumbrados com tanta abundância de mau gosto e breguice dessas mulheres sem a mínima noção de proporção, de beleza e de estética. Algumas parecem aleijões, tamanha é a deformação das nádegas propiciada pelo excesso de silicone, como, por exemplo, a Valéria Poposuda e a Isis (Fazenda de Verão) que mais parecem ter bolas de futebol nos respectivos traseiros.
Atualmente, elas não são mais novidade, as bundudonas e peitudonas proliferam em toda parte, gente dançando o Funk tornou-se lugar comum... Pouco se fala nas deliciosas frutas perecíveis, os cachês já não são tão altos, os shows ficaram menos procurados. Aí, como fica a vida de mulheres ricas que viviam as funkeiras? O que sabiam fazer e ofereciam como atração está em baixa... Rebolar sensualizando a mulherada nas baladas e bailes funks já fazem primorosamente. Que concorrência!
Ora bem, a situação está ruim... A super gostosona Renata Frisson, conhecida como Mulher Melão está dando tratos à bola para adaptar-se à nova situação de estrela em decadência. Ela disse que gastava R$ 10 mil mensais em salão de beleza. Quando tinha que trocar o megahair então era muito mais, gastava muito e levava um vidão, pagava tudo para os amigos, bancava várias baladas. Mas não tenho ideia de quanto eu gastava por mês no total, porque nunca fui muito de fazer conta. Ia gastando e pronto. Depois de ter ficado pobre, os amigos sumiram. Sem dinheiro para esbanjar, foi obrigada a mudar o padrão de vida, contar os tostões e baixar a bola.
Poie é, a maré virou, o dinheiro secou e Renata Frisson, a Mulher Melão, teve que dizer adeus ao luxo e à vida de aparências. No começo do ano, ela deixou um caríssimo apart-hotel de frente para o mar, na Barra da Tijuca, no qual tinha toda a infraestrutura à sua disposição, para ir morar na casa de um amigo no bairro de Vila Valqueire, no subúrbio do Rio de Janeiro. O baque financeiro foi radical, marcando o início de severas mudanças de hábitos da nova rica empobrecida.
Para o Ego, ela afirmou que enfrentou uma mudança severa no seu estilo de vida. Gastava muito e fazia muito desaforo com meu dinheiro. O David Brazil vivia conversando comigo, dizendo que aquilo não era direito, eu dizia que ia mudar, mas só ia empurrando a decisão mais para frente.
Infelizmente, somente quando o número de shows caiu, ela resolveu que era hora de mudar de vida, pondo fim ao sonho de morar em um hotel cinco estrelas, pois não podia mais viver de aparências, colocar minha a para funcionar.
Agora, vive sozinha. Aprendeu a achar maravilhoso ficar em casa vendo um filminho. Aprendeu a lição tarde demais...
Continuo fazendo show e meu padrão de vida não caiu tanto. A questão é que agora eu economizo mais. Junta no banco e quer investir em um negócio para ela. Sabe que não vai viver do corpo para sempre e não quer ir para no Retiro dos Artistas sem nada. Nem tenho cartão de crédito mais. Foi a primeira coisa que eu cortei, sempre estourava o limite.
Para economizar faz as coisas para ela, faz tudo, lava a própria louça. Não frequenta mais salão, faz hidratação em casa. Não compra mais tanta roupa, está reciclando um monte de coisa que usou uma vez só, e tem gente que pensa que é novidade. E, quando quero me divertir, chamo os amigos que me restaram para bater papo em casa e cozinho para eles.




12 de maio de 2013

A luta das sub-celebridades pelos holofotes midiáticos!

0 COMENTÁRIOS




Nicole Bahls, que adora garotelhos bonitos,  não ficou nada feliz com as declarações de Claudia Raia sobre seu descabido envolvimento com o filho da atriz, Enzo, de 15 anos, novinho demais para ter aventuras com mulheres modernosas demais como a ex-paniquete.
 Neste sábado, 11, a ex-panicat foi ao show de Ivete Sangalo no Rio e contou sua reação. "Fiquei triste, achei desnecessárias as declarações que ela fez, até porque não sou mais panicat. Ela já foi dançarina também e nem por isso foi chacrete. Isso não dá o direito de rotular ninguém", disse a polêmica figura, esquecida de que Cláudia nem de longe pode ser comparada com paniquetes e chacretes, pois dança em espetáculos estilosos, artísticos, musicais de inegável qualidade, em teatros de categoria. Jamais poderá ser comparada com siliconadas que ficam de biquines rebolando em programetos de TV, de gosto duvidoso.
Em entrevista ao jornal "O Globo", Claudia comentou que achava natural a aproximação entre o filho e a ex-paniquete. "Eu acho que ele está na hora de brincar disso. As paniquetes são as nossas chacretes de hoje em dia, são as mulheres da vez, são as gostosas que eles acham incríveis, então por que não sair com uma pessoa como ela?", falou à publicação.
Nicole também descartou um possível encontro com Enzo, que também estava no show, acompanhado da mãe e da irmã mais nova, Sophia. "Não, nem o vi. Nem sabia que ele vinha. Vim porque adoro a Ivete. Não tenho porque falar com ele", afirmou ela, que fez um sorrisinho irônico quando questionada sobre a mudança na relação dos dois, que antes eram considerados amigos. "Só tinha contato com ele na Beija-Flor e ponto." Pois sim, me engana que eu gosto!
Durante o show, Nicole chegou a ficar próxima à área em que o garoto estava. Ao perceber que os fotógrafos estavam tentando registrar os dois juntos, Claudia afastou o filho. Logo depois, os fotógrafos credenciados foram convidados a se retirar do espaço pela produção do evento. Bom demais!
Se se desse ao respeito, a gostosa não passaria por vexames como o que passou com o taradão  que entrevistou e que, além de lhe dizer palavras pesadas, meteu a mão em sua perseguida. como se vê na foto. 
 
Que situação  lastimável!  O que tem que suportar uma sub-celebridade para prolongar seus quinze minutinhos de fama,  para ter os holofites midiáticos sobre sua pessoinha  semi-esquecida,  para ser notícia!  Morro e não vejo tudo!

6 de maio de 2013

Solange (BBB4) ressurge linda e cheia de confiança no futuro.

0 COMENTÁRIOS

Quem não se lembra de Solange Vega, que ficou conhecida nacionalmente em 2004 na quarta edição do Big Brother Brasil ao entoar, de maneira errada, a música We Are The World? Depois de 9 anos sem aparecer na mídia, ela volta em cena para seguir carreira artística. Agora, ela interpretará uma patricinha na peça Morro da Trincheira, que tem previsão de estreia em setembro, no Rio de Janeiro. 


Solange, que atualmente integra o grupo de teatro Abraço da Paz, afirma que está em fase de preparação da personagem. Como laboratório, ela passa dias assistindo a filmes com a temática da trama para surpreender quando subir ao palco como Fernanda. “Fui convidada pelo diretor Jonas França e estou encantada com essa oportunidade de atuar e com a minha personagem. Serei uma patricinha que se envolve com um bandido, que vira dono da boca do tráfico. Ela entra na criminalidade junto com ele e, para não ser pega pela polícia, vai passar por situações muito constrangedoras e engraçadas. Terei que me disfarçar até de freira”, conta animada.
De acordo com a atriz, que sonha em estrelar uma novela, o teatro é uma excelente preparação para os folhetins. “Acredito que todo ator deve ter experiência no teatro, pois ele é a base da arte de atuar. É no teatro que temos o contato direto com o público, que temos que nos virar com os improvisos e mostramos sem truques o nosso talento. É claro que quero estar em uma novela, mas quero que o convite venha na hora certa”, disse. 


Questionada se sua participação no BBB influenciou seu início na carreira artística, ela afirma que não. “Quero superar o rótulo de ex-BBB”, explicou.
Desde que saiu do Big Brother Brasil, em 2004, ela esteve nas escolas de teatro Retiro dos Artistas, Nós do Morro, Escola Cininha de Paula e Antonio Amâncio.
Vale salientar que Solange, ao longo dos sete anos em que esteve ausente da mídia, estudou  língua portuguesa, inglês e teatro. Casada com um empresário italiano, ela tem tido no companheiro todo o apoio necessário para se transformar na mulher linda, cuidada e preparada para enfrentar o mercado de trabalho ma área artística.  Parabéns, Solange! Você merece tudo de bom.

2 de maio de 2013

Rei morto, rei posto: Débora Secco tem novo amor.

0 COMENTÁRIOS


Duas semanas após anunciar a separação de Roger, Deborah Secco já vive um novo amor. O eleito é o cantor religioso Allyson Castro, natural de Porto Velho (RO), e morador do Rio de Janeiro há 13 anos. Uma fonte do EGO conta que Deborah já foi apresentada oficialmente por Allyson para a toda a família como sua namorada.
O encontro aconteceu durante uma viagem da atriz a Porto Velho para visitar a mãe do namorado, a socialite Dorinha Castro, que está em coma. A mãe de Allyson sofreu um aneurisma no último dia 15 e, desde então, segue internada no Hospital Central de Porto Velho. Deborah chegou à capital de Rondônia na manhã de sábado, 27, e se hospedou no hotel Aquarius, um quatro estrelas da família de Allyson. À tarde, ela esteve no hospital onde causou um certo tumulto. "O povo daqui não está acostumado a ver artista e foi todo mundo em cima dela, mas ela foi muito simpática e atendeu a todos", contou a fonte que preferiu não se identificar.
A notícia não pegou de surpresa apenas os moradores da cidade. A família de Allyson também ficou perplexa ao descobrir a identidade da nova namorada do rapaz. "Todos ficaram muito impressionados. Os parentes mais distantes não imaginavam que seria ela a namorada dele. Só os mais próximos, como o pai e a irmã, sabiam de quem se tratava", contou. Segundo a fonte, o relacionamento parece ser sério: "Allyson nunca foi de apresentar namorada para a família dele. É difícil".
No domingo, 28, os dois jantaram no restaurante Mariposa, badalado point local. Na ocasião, os donos do estabelecimento fizeram uma foto da atriz, que foi postada no perfil do restaurante no Facebook. A foto teve quase mil "curtidas" e diversos comentários sobre o novo casal da cidade. Um dos seguidores da página parabenizou Deborah. "Quem tem sorte é ela de namorar um cara espetacular, com um caráter magnificio e ainda por cima religioso e temente a Deus. Parabéns a ela pela grande escolha!".
Apesar dois dois passarem muito tempo juntos, Deborah se hospedou no hotel Allyson ficou na mansão da família, no centro da cidade. Segundo o EGO apurou, o imóvel conta com um bar no térreo, uma boate no segundo andar e um imenso terraço no terceiro andar.
Deborah e Allyson teriam se conhecido durante a produção de uma peça infantil de uma escola de teatro. Atualmente o casal é vizinho e mora no mesmo prédio em um condomínio na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.
Conhecido em sua cidade natal, Allyson vem de uma família influente politica e empresarialmente na região. Seu pai é dono de uma rede de hotéis e boates, a mãe é uma conhecida socialite da cidade e o irmão, Emerson Castro, é o atual Secretário de Desenvolvimento Social e Econômico de Rondônia. Emerson teria dito que só não chama a atriz de cunhada porque os dois ainda não são casados.
Entre os familiares, aparentemente apenas Allyson é tão dedicado à religião. O rapaz chegou a gravar um DVD ao vivo em uma casa noturna do pai mas, como o projeto não deu certo, acabou se mudando para o Rio e se dedicando ao repertório religioso.
 
 

1 de maio de 2013

Sexualidade castrada.

0 COMENTÁRIOS


Ah, o amor... Quantas reflexões, indagações e questões!
Quanta perda de tempo entre a certeza da nossa necessidade de amar e os conflitos gerados por um convencionalismo besta criado pelas sociedades hipócritas e pelas igrejas fincadas num princípio sórdido de que amar é um sujo pecado. Nascemos filhos de Deus e trazemos em nosso âmago, além do desejo genuíno de sermos felizes, um órgão anatômico produzido para o prazer. Ora, por que, então, não fomos fabricados pelo Divino somente com os órgãos da procriação?
Quando pequeninas, na nossa pureza, descobrimos o prazer proporcionado pelas carícias que, involuntariamente ou instintivamente, nos proporcionamos ao tocarmos inocentemente nosso clitóris e é tamanha a nossa ingenuidade, que levamos até a nossa querida mamãe esta experiência tão incrível para nós. E é aí, na maioria das vezes, que definitivamente a nossa sexualidade é castrada.
"Minha filha, pelo amor de Deus, esqueça isto. Não toque nunca mais aí. Isso é muito feio, isso é muito perigoso, isso é sujo, é pecado, Deus está vendo... sua mão vai cair..." E somos mesmo capazes de nos vermos sem mãos um dia, tamanha a influência materna e religiosa sobre nós.
É uma lástima que ainda na atualidade meninas estejam sujeitas a bloqueios sexuais, às vezes irreversíveis, criados por mães desinformadas e inexperientes, desatenciosas, na verdade, porque viveram o mesmo problema e são infelizes na sua individualidade e na sua vida conjugal e mesmo assim, incapazes de lutarem e buscarem orientação para si e suas filhas, vem passando como herança o peso de uma existência inócua ao prazer e as energias que este sentido nos oferece.
Sendo assim, é sempre muito importante lembrar que sexo é fonte inesgotável de energias. Com a orientação apropriada, a energia sexual é um rico tesouro de alegria, felicidade e paixão. Ela é uma ferramenta para criar e manter o nível ideal de saúde e vitalidade, transmutando uma vida medíocre em uma vida genial, transformando uma vida infeliz e estressada em uma vida plena de sucessos e realizações. Este é seu poder!
A melhor maneira de se manter fisicamente e mentalmente saudável é nunca deixar de praticar atividades físicas, mentais e sexuais. Técnicas comportamentais como o pompoarismo, por exemplo, tem contribuído muito para que mulheres de todas as idades redescubram o prazer, recuperem auto-estima e melhorem sua qualidade de vida.
Associado ao pompoarismo, terapias relaxantes como a reflexoterapia podal, a terapia Floral de Bach, que é capaz de levar o indivíduo ao auto-conhecimento, bem como a psicoterapia holística, que é extremamente eficaz na classificação do perfil da pessoa, são instrumentos valiosos que utilizados na medida certa, geram equilíbrio e felicidade.

Jussara Hadadd é terapeuta holística, especializada em sexualidade