20 de dezembro de 2012

A Produção ignora a cusparada no rosto de Angelis!

0 COMENTÁRIOS
Que vergonha foi a edição super tendenciosa que a Record encenou, como a grande palhaçada do ano, em termos de reality show, um gênero de entretenimento do qual a produção desconhece de forma vexatória, daí o fiasco inevitável dessa Fazenda de Verão ridícula e burramente conduzida. Até o até o Rodrigo Faro pisou na bola, narrando em off e induzindo quem está assistindo pela primeira vez, sem conhecimento dos fatos reais a acreditarem na versão desonesta, avacalhante , que é uma agressão à inteligência dos que estão acompanhando pelo R7 o que se passa na casa sede do programa.
Na maior demonstração de desrespeito pelo público e pela própria participante agredida pela protegidinha da emissora, fizeram cortes na cena da briga, entremearam com cenas de outras querelas, manipularam desavergonhadamente a ordem dos fatos, de tal maneira que Angelis aparecesse como a provocadora e única protagonista da briga com Ísis. O absurdo chegou ao ponto de mostrarem Angelis indo para a despensa tocar o sino para a produção, mas cortando o som do sino sendo batido duas vezes, como ouvi ontem na madrugada. Omitiram assim a denúncia contra a agressora. Só faltou a edição de hoje fazer a Isis de vitima, chorando e colocando musiquinha triste de fundo aff!
A Angelis não tem torcida organizada, é verdade, mas tem a simpatia de uma imensa quantidade de ppessoas que apreciam seu jogo e a defendem da perseguição que vem sofrendo desde que entrou na casa sede. Queiram ou não, a verdade é que ela, por enquanto, é "preferência nacional". Não fosse assim não teria sido salva de quatro roças, sem falar na de amanhã, da qual sairá vitoriosa, totalizando cinco roças. Só os jumentóides da casa não percebem que fizeram dela a campeã, puseram em sua conta bancária, a cada roça, o prêmio milionário.O público gamou na mineira. Se há um romance na casa, que a maioria das mulheres está interessada em ver e apoia é o de Angelis e Manoella e não o dos homens metidos a machões, sem pegada, mais parecendo um bando de boiolas, agarrando mulheres para tentar escapar da eliminação na roça. E a razão para as duas estarem agradando é muito simples: elas fazem a diferença. Não ficam se pegando pela casa, são discretas, se respeitam e não estão afim de chocar as pessoas, nem de agredir os familiares com cenas ousadas, têm dignidade e, ao contrário dos casais heterossexuais, cultivam um sentimento bonito e limpo entre elas. Os demais só querem mesmo é esfregação, boquetes e outras safadezas sem compromisso e sem afeto. Ai, que nojooo!
Mas esses esfregantes e boqueteiros são mostrados. Sobre esses R. Faro fala entusiasmado, como se fosse uma grande novidade homem e mulher promíscuos e exibicionistas. Como seguem a cartilha do falso moralismo e da hipocrisia, mostram esses casais se esfregando na piscina, na sala e na cama, com cenas bem calientes. Mas não mostram Angelis e Manoela juntinhas conversando, namoricando com leveza e discreção. E durma-se com esse fedor de falso moralismo... A produção abomina essa relação e tudo fará para separar as duas ( Nuelle e Bianca podiam...kkkkkkkk)
Se, por um lado, o público está adorando ver Angelis atuando e peitando a cambada de frouxos e de periguetes metidos a donos do jogo, por outro lado é notória a insatisfação da produção com a Angelis, simplesmente porque ela não tem medo de meter a boca no trombone, de reclamar direto, de contar que foi convidada para participar do reality, de assumir que gosta de meninas e seu caso com a Manoella e até de peitar gostosamente o Clébis, fazendo-o baixar a bola e deixar de lado aquela pedante pose de capataz em senzala de escravos. Agora Clébis está pianinho, um docinho.
Rodrigo Faro, que diz muitas besteiradas como apresentador, dizer que ela é a "maior manipuladora”, é muita falta de bom senso, ou está vendo outro reality show. Ai, que saudade de Brito Junior!
Só rindo mesmo... Semana passada a Flávia manipulou geral para votarem no Thyago, e a edição fez vista grossa. Né mesmo, Rodrigo Faro? Dança Gatinho, porque está imoral, descarada e asquerosa a intenção da record em eliminar a Angelis. Se hoje foi essa sujeirada toda, imagine-se o que será daqui por diante. Acredito que alguma coisa vão fazer para passarem uma rasteira na mineira. A agressão que sofreu, a reclamação que fez, tocando o sino, foram ignoradas. Talvez quisessem que Angelis tocasse o sino para sair..kkkkkkkkkkkkkkkk

Não tenho dúvidas de que Angelis é a grande e merecedora campeã. Jogadora boa e hábil, como ela, só vi Alemão, Domini, Jean Massumi, Dourado e Alberto, todos do Big Brother Brasil. Ela articulou a roça de ontem com a ajuda daqueles idiotas do grupelho dela. Não teve medo de se colocar na roça para salvar Manoella, de forma limpa e transparente. Em realityes da Record, nunca vi um jogador como ela.
Nem sinto tanta simpatia por Angelis, mas não consigo deixar de defendê-la e de torcer por ela. Angelis é encantadoramente dissimulada, uma adorável arrogante, briga por tudo com graça e puerilidade. Como resistir a uma pessoa que faz a diferença de forma tão absoluta e decisiva?
Os participantes deste reality são tão medíocres, burróises, nojentos, limitados, fofoqueiros, mal educados, hipócritas e falsos, que ela acaba passando mais verdade, uma verdade simples, direta, espontânea e quase inocente. Quero muito que ela vença este programinha e saia sambando, cantando e saravando.
LEIA MAIS, Clicando na frase abaixo

13 de dezembro de 2012

Siri e Alemão: adoráveis insanos...

1 COMENTÁRIOS


Nenhuma edição posterior ao BBB7 igualou-se à magia que envolveu a sétima edição do programa. Nenhuma edição conseguiu despertar tanta paixão, durante os meses em que esteve nas nossas telinhas e depois de muitos meses que se seguiram ao término do mesmo. Simplesmente, a direção do reality jamais conseguiram ou conseguirão arranjar outro "alemão" e outra "Siri", e eles continuarão a ser os mais carismáticos, os mais belos e mais famosos ex-BBs!
Depois deles, jamais tiremos protagonistas com a personalidade e o apelo popular que os consagrou e tornou inesquecíveis para todas as pessoas que se apaixonaram por eles e viveram todos os momentos daquela história de amor que partilharam conosco. Alemão e Siri deram um banho de romantismo, de pureza de sentimentos, de ternura e respeito, em todos os momentos em que se relacionaram dentro da casa dos confinados, sem pegações ordinárias, sem avanços libidinosos, sem a prevalência dos instintos.


 Jamais esquecerei a festa medieval, com um "príncipe" e uma "princesa" dançando uma música romântica, como se flutuassem numa nuvem de sonho. Jamais esquecerei a música tema do romance dos dois (Amor Perfeito), do vazio que pairou sobre a casa após a eliminação de Siri, a sua presença em ausência e a luta de Alemão para derrubar a todos que urdiram a trama para meterem Siri no paredão junto com ele
Fora do programa, Siri arrebatava as multidões que a seguiam onde aparecesse: era o delírio absoluto, a paixão pela “Caipira” personagem de uma história de amor interrompida com a sua eliminação. Todavia, alimentava o imaginário e os anseios daqueles imensos fãs clubes uma forte expectativa de um desfecho romântico que viesse a preencher os anseios e desejos de tantos pessoas que apostavam na verdade daquele amor, que ansiavam por aquele momento final do reencontro e do beijo prometido na despedida!

 Jamais esqueceremos as tentativas dos dois para assegurarem a sobrevivência de um romance autêntico, construído com respeito e com amor coração, amor sentimento, coisa praticamente inexistente em nosso pervertido mundo atual, do sexo descartável, do prazer momentâneo, da permissividade escancarada. Jamais esqueceremos esses dois "insanos".
Expressando-me desse jeito sentimental e quase piegas, corro o risco de parecer uma ultrapassada e delirante adolescente romântica. Que importa, se o fato é que me emocionei mesmo com a historinha de Alemão e Siri, que chorei por eles, que me alegrei com eles e que ainda acredito que o amor entre eles ainda possa reflorescer.

Vale lembrar que a Siri entrevistou o Alemão no ano passado na festa da final do BBB11, e que Alemão falou no ouvido da Caipira “-eu te amo por toda vida!” Isso foi em 2011. Siri estava noiva de outro. O microfone dela gravou as palavras de Alemão e o TvFama divulgou essa frase muitas vezes. Atualmente, Siri está solteira, Alemão tem uma namorada. Mas, ninguém ignora que ficou mal resolvida a história desses dois lindos e adoráveis “insanos” . Como sonhar não é pecado nem crime, permito-me o sonho de ver Íris Stefanelli (Siri) e Diego Alemão juntos e sem medo de serem felizes.

Siri e Alemão são os ícones de uma época na qual o Big Brother Brasil encantava os telespectadores, reunia as famílias diante da Tv, como se fosse uma novela. Claro que nesse mesmo BBB7, a super periguete Fani deu espetáculos deploráveis de piranhagem, baixarias sexuais e vulgaridade escancarada. Daí por diante, multiplicaram-se as Fanis, cada vez mais escandalosas e despudoradas. Imagino as cachorradas que nos oferecerá o BBB13.

10 de dezembro de 2012

Humildade, paciência e explosão orgástica

0 COMENTÁRIOS

É fato que muitas mulheres têm dificuldades na cama, como dor, falta de desejo e orgasmos raríssimos. Os homens brasileiros têm mais orgasmos que as mulheres e, para eles, é dez vezes mais fácil chegar ao ápice. Muitas nunca conseguem atingir o prazer quando estão com seu parceiro. Homens feridos em sua reputação costumam alegar que o orgasmo feminino é algo mais complicado e difícil de ser alcançado que uma promoção no trabalho.
Algumas mulheres mais jovens têm dificuldade de atingir o clímax por inexperiência e fatores emocionais, como uma educação rígida que condene o prazer sexual. Nas mais velhas, as dificuldades estão, em geral, relacionadas a disfunções físicas. Grande parte não consegue um orgasmo com penetração, por um problema sexual do parceiro, como a disfunção erétil ou ainda a inabilidade do moço em usar seu membro muito pequeno ou muito grande.
Mesmo com todas as dificuldades masculinas e dos tradicionais inimigos do orgasmo, como estresse, cansaço e rotina entediante, as mulheres enfrentam um tabu que os homens já superaram. A masturbação.
A mulher que se masturba, que vive suas fantasias e tem intimidade com o corpo, chega ao orgasmo com mais facilidade, mesmo na relação sexual. Contudo, muitas, infinitas mulheres brasileiras nunca se tocaram na vida. Outra coisa que contribui sobremaneira para o orgasmo feminino é o alto nível de instrução. O quanto ela é informada, o quanto ela se interessa pelo assunto.
Fatores ancestrais também explicam a dificuldade da fêmea em atingir o orgasmo. Pasmem! Na Idade da Pedra, quando o casal fazia sexo, era importante que ao menos um dos parceiros não se desligasse por completo do mundo exterior... E é claro que coube à mulher mais esta responsabilidade. Durante o sexo, era ela quem permanecia "ligada" para a eventual chegada de uma fera ou o sumiço de uma criança. Hoje, além dessas responsabilidades, transmutadas em fatores da modernidade, a mulher precisa monitorar as celulites aparentes, os pneuzinhos protuberantes e coisas desse tipo.
O interessante é que mesmo não chegando ao orgasmo, uma grande maioria de mulheres afirma ficar sexualmente satisfeita. Muitas mulheres dizem que o sexo lhes dá prazer, mas que seus parceiros ficam muito tristes por elas não chegarem sempre ao orgasmo. Amor ou machismo?
Tudo pode não passar de uma representação para o grand finale. Dependendo da pressão por parte do parceiro, mulheres fingem o orgasmo com muita facilidade e muitos homens preferem acreditar nisto a ter o trabalho de compartilhar com a parceira suas necessidades e obstáculos.
Trocando em miúdos... Ou o sexo acontece gostoso, encaixado e cadenciado, ou o casal se ama a ponto de estudarem juntos uma maneira de um dia isto vir a acontecer. É possível. A explosão orgástica não precisa, necessariamente, ocorrer nos primeiros encontros. Humildade costuma resolver bem este problema. Boa vontade também.

Jussara Hadadd é filósofa e terapeuta sexual feminina
 
 

Fazendo Amor

0 COMENTÁRIOS

O amor precisa ser acalentado e saboreado muito lentamente, para que ele banhe o seu ser e se torne uma tal experiência de gozo que você deixe de existir como ego. Não é que você esteja fazendo amor - você é amor.

O amor pode se tornar uma energia maior à sua volta. Ele pode transcendê-lo e a seu amado de forma que ambos se percam nele. Mas, para isso, você precisará esperar. Espere um momento e logo terá o jeito para isso.

Deixe que a energia se acumule e deixe que aconteça espontaneamente. Aos poucos você perceberá quando o momento surge. Você começará a perceber os sintomas, os pré-sintomas e não haverá dificuldade.

Se não surgir o momento em que você naturalmente entra no ato do amor, espere; não há pressa.
A mente ocidental tem muita pressa - mesmo ao fazer amor, isso é algo a ser feito às pressas e pronto. Essa atitude está completamente errada.

Não se pode manipular o amor. Ele acontece quando acontece. Se ele não estiver acontecendo, não há com o que se preocupar. Não o torne uma viagem do ego em que de qualquer modo você precisa fazer amor.

Isto também está presente na mente ocidental: o homem acha que necessariamente precisa atuar. Se ele não estiver conseguindo, ele acha que não é suficientemente macho. Isso é tolice, é estupidez.

O amor é algo transcendental, não se pode manipulá-lo. Aqueles que tentaram perderam toda a sua beleza. Então, no máximo, ele se torna um alívio sexual, mas todos os reinos sutis e mais profundos do amor permaneceram intocados.


Osho, em "Osho Todos os Dias"
Leia mais: http://www.palavrasdeosho.com/2012/02/fazendo-amor.html#ixzz2EeLIht00
 
 

6 de dezembro de 2012

0 COMENTÁRIOS

VAIDADE: ESPELHO, ESPELHO MEU...

O tema vaidade é, nos dias atuais, um campo aberto para uma infinitude de abordagens de interesse para homens, mulheres, para pais de adolescentes e até para idosos, pois já não diz respeito apenas aos cuidados com a pele, cabelos e músculos. Não, ela faz parte das preocupações de médicos por ter se tornado um problema que se estende à área da saúde, quando assume o estatudo de doença e uma ameaça à vida das pessoas dominadas pela obsessão de atingir um padrão de beleza que cultua a magreza extrema, ou, ainda, quando o recurso às cirurgias, lipos e implantes provocam acidentes ou morte.
O artigo, que se segue, é bem esclarecedor, por ser  escrito por uma profissional da área da psicologia, a psicóloga clínica Grace Wanderley de Barros Coelho.




"A vaidade é considerada como um dos sete pecados capitais. A vaidade tem relação com a soberba e a luxúria. Tornar-se belo para o outro. Tornar-se objeto de desejo. Embora isto possa ter algo de verdade, acredito que em nível profundo há um desejo de chamar atenção para si, como forma de ser amado.

A necessidade maior é a de amor, ainda que por caminhos ilusórios e superficiais. As pessoas muito vaidosas preocupam-se com a aparência e investem energia na manutenção de uma imagem de beleza e jovialidade. O cuidado com o corpo, o gosto pelo belo é legítimo, desde que dentro de um limite que não ultrapasse os princípios da saúde.

Pode-se, também, questionar o verdadeiro sentido do belo. A beleza tem uma ligação direta com o ser, o interior, a alma. A jovialidade é mantida por uma mente flexível, aberta, um jeito de ser leve e alegre. A sociedade ocidental estimula o orgulho, a luxúria, a vaidade, um comportamento individualista e egóico, em detrimento dos verdadeiros valores humanos.

O corpo é tratado apenas na sua função biológica. Luta-se contra o envelhecer e não se reconhece a sabedoria do tempo. Pena que as pessoas, inclusive os jovens, se deixem levar pela ilusão narcísica de uma medicina aparentemente embelezadora, muitas vezes à custa da própria vida.

Grace Wanderley de Barros Correia - Psicóloga Clínica.