26 de janeiro de 2010

Francine, Gyselle e Joseane: três vitoriosas!

1 COMENTÁRIOS



 
 
Francine Piaia nunca esteve tão bem na área profissional. Como colunista da revista Te Contei, vem fazendo reportagens nas ruas interessantíssimas, naquele estilo leve, humorístico e, ao mesmo tempo, esbanjando simpatia, alegria e cordialidade com os entrevistados, aos quais dentre outros temas, faz perguntas sobre as impressões das pessoas sobre o BBB10.

Hoje vi um vídeo de uma dessas entrevista e que rasguei de tanto dá risada com os repentes inteligentes e engraçados da Fofura,  com as suas mímicas molecas e suas expressões fisionômicas marotas, que tanto nos divertiram no BBB9.  O clima de bom humor e de alto astral deixa os entrevistados envolvidíssimos e dispostos a conversarem com ela, a responderem às suas perguntas.



Francine teve que desistir do desfile na Sapucaí, devido à sua agenda lotada de compromissos. Vencedora de uma enquête realizada por twiteiros para elegerem a gata do ano, posou para um ensaio fotográfico caprichado. A melhor foto sairá num calendário, representando o mês de outubro.

Outra que está muito bem profissionalmente é a ex-“BBB” Gyselle Soares. A bela Cajuína dará vida à personagem Celeste, amante de Getúlio Vargas, e melhor amiga da personagem de Claudia Raia, no filme “A fronteira de sangue”, de Ricardo Zimmer. É o terceiro longa de Gyselle, e ela garante que tem se dedicado de corpo e alma à carreira: “- Estou solteira e muito focada no cinema. Não digo que se encontrar uma pessoa especial eu não vá ficar. Mas como sou muito intensa, estou me guardando - diz.



Gyselle também contou que ainda não teve tempo de assistir ao "Big Brother Brasil 10", mas que achou legal a idéia de ter ex "BBB"s no programa. Mesmo assim, ela garante que não entraria novamente no reality:“- Não fui chamada, mas se fosse teria de dizer não. Acho legal, mas o programa exige muita energia nossa e no momento meu foco é outro”.

Dá-se bem na vida profissional, provar que nunca foi nem é uma leviana piriguete, é a maior e mais bem dada resposta de Gyselle para as pessoas que, em seus blogs, tentaram desmoralizá-la da forma mais aviltante e perversa, atribuindo-lhe muita baixaria, dentre as quais a infâmia caluniosa de rotulá-la como prostituta nas calçadas de Paris, por puro preconceito contra a sua instrução precária e a sua condição de moça pobre, de família humilde.



Joseane, recém saída do BBB10, está prestes a casar-se com o homem que namora há dois anos. A linda ex-miss fez um belo ensaio para o Paparazzo e está estudando as propostas recebidas para posar para a PlayBoy. Além disso, ela está muito feliz com as propostas de trabalho que lhe estão sendo feitas, inclusive para ingressar em uma emissora de Tv, para participar de uma novela. Estou certa de que a melhor coisa que poderia ter acontecido com Joseane foi a sua eliminação na primeira semana.  Se ficasse mais tempo, convivendo com as piriguetes, correria o risco de sair da casa com má fama,  confundida com as tais doidivanas.  Participar do BBB10  é uma roubada...

25 de janeiro de 2010

Hebe: um exemplo de vida!

3 COMENTÁRIOS



Assisti , hoje, à entrevista de Hebe para a Globo, realizada na residência da apresentadora, em São Paulo. É espantosa a vitalidade e a energia desta extraordinária mulher que, aos 80 anos de idade, ainda trabalha, sai, se diverte, viaja e é um exemplo de terceira idade saudável, de encantamento pela vida e de delicadeza, bom humor e alegria.

Em nenhum momento, Hebe se queixou da doença, fez lamúrias de coitadinha ou se mostrou revoltada com a dura realidade que está enfrentando. Admirável a sua forma de encarar o pesado tratamento de combate ao câncer e a conseqüente queda dos seus cabelos. Tudo isto, que deixaria qualquer mulher à beira de um ataque de desespero, ela tira de letra e até faz piada com a situação.

Vaidosa e bem cuidada, Hebe parecia uma rainha: muito bem vestida e penteada, maquiada e com seus indispensáveis badulaques. Todavia, apesar desse capricho com a aparência, ela é muito simples e sem estrelismo. Não é por acaso que é tão amada e respeitada pelos amigos, familiares e por seu imenso e fiel público.

O sonho da grande estrela Hebe Camargo, a rainha da televisão brasileira é encerrar sua carreira na Rede Globo de Televisão. Todos os seus amigos mais próximos sabem disso, Ana Maria Braga, num gesto bonito, numa espécie de retribuição, por tudo que Hebe fez por ela no começo de sua carreira, resolveu ser a fada madrinha deste sonho.

Em um jantar realizado na casa de Lucianho Huck e Angélica, em uma conversa com Otavio Florisbal, o diretor geral da Rede Globo, ficou acertada a transferência da apresentadora do SBT para a emissora da família Marinho sem traumas. E já na Globo ela teria um programa digno de uma rainha. Esse o combinado, para que Hebe pudesse viver uma fase dourada novamente na televisão.

Quando ainda estava internada no hospital, a apresentadora divulgou uma mensagem por meio da assessoria de imprensa do hospital. “Eu sempre falei que solidão não existe. Obrigada Brasil por ter me cercado de tanto, de tanto, de tanto amor”, disse, em nota.

Como não amar, admirar e tomar como exemplo esta grande dama, como não aprender a lição de otimismo, de dignidade e de força interior que ela está nos dando? Hoje, fiquei comovida, vendo-a falar na sua gravíssima doença como se falasse de uma gripe... Decididamente, Hebe nunca envelheceu, nunca envelhecerá, terá sempre abrigada em seu interior a jovem que foi em tempos já tão distanciados, e que ela jamais deixou que se fosse embora. Que Deus lhe devolva a saúde e conceda-lhe muitos anos de vida.


24 de janeiro de 2010

AS PIRIGUETES NO BBB... CRUZ CREDO!

1 COMENTÁRIOS



Em todas as edições do BBB as piriguetes marcaram presença, deram shows de vulgaridade, de baixaria e de depravação dentro da casa, como costumavam aprontar fora do programa. Porque Piriguete é como torcedor do Flamengo: “uma vez piriguete..., piriguete até morrer!”. Bial, como muitos velhotes, é fascinado por neste tipo de mulher... “Poisé” o BBB10 tem um exemplar prisciliano de piriguete, até mais talentosa: a MAROCA.

As piriguetes são mulheres que dão em cima de homens que têm namoradas ou já estão acompanhados. Hoje em dia piriguete é toda mulher fácil, ela não resiste a homem, qualquer um. São oferecidas, vulgares e adoram chamar a atenção para si. Para isto, fazem implante de silicone nos seios, usam roupas colantes, muito decotadas e saias curtíssimas, sobre minúsculas calcinhas fio dental, adoram um salto alto e brincos enormes. Elas são  facilmente reconhecíveis.

“É difícil uma garota aceitar que é uma piriguete e se denominar como tal. Geralmente a piriguete se mascara de feminista , de descolada e justifica suas piriguetices (nunca para os homens e sim para as amigas) defendendo que pode fazer as mesmas coisas que os homens fazem (se esse argumento procedesse, elas soltariam pum, arrotariam na frente das amigas e mijariam no meio da calçada).

~

Os homens não curtem essa classe de mulheres não porque dão mais que chuchu na serra (mas, usam-nas para darem uns amassos sem compromisso), mas  a maioria esconde a sua condição.  Kadu disse, ontem na festa, com todas as letras, que não gosta de mulheres oferecidas, que é mais fácil andar pelado pela casa que “ficar” com Maroca”. Atitude bem semelhante a de Manu em relação ao assédio de Priscila, desde que ele pôs os pés na casa, chegando a aconselhar Ralf a livrar-se de Milena ao sair da casa, como ele faria com a Kiwi, alegando que não eram mulheres para ambos serem vistos em suas companhias.

A desgraça de Dourado, no BBB4, foi ter se envolvido com uma piriguete ungida e sacramentada, que pouco se importava com o fato dele ter uma relação forte com a Russa, sua mulher há cinco anos, de quem ele gostava muito e não admitia trair e magoar. Mas, ser assediado por uma mulher bonita e oferecida, que se meteu sob seu edredom, no quarto do líder, vestida apenas com um fio dental, é tentação diabólica para um homem com os hormônios em brasa e carente de sexo.

Ambos mataram a fome de sexo, mas, no dia seguinte, ele estava abalado com o que acontecera e deu um basta com Juliana... Como mulher rejeitada é capaz de muitas misérias e baixezas, ele ganhou uma inimiga com muitos aliados na casa. A aventura piriguetesca valeu-lhe um paredão e a eliminação do jogo. Se Kadu não der mesmo um chega para lá em Maroca, a relação dele com a namorada terá o mesmo destino da relação de Michel, facilmente enredado nas malhas da esperta piriguete Tessália.

Regra geral, a piriguete, que se preza, precisa mostrar 24 horas por dia e em qualquer lugar que vá que é atraente, que possui um corpo sensual e que os homens babam por ela. Ela precisa chamar a atenção. Para isso, usa toda sorte de artifícios para mostrar o seu corpo. Roupas coladas, decotadas e mini-saia constituem 90% do seu guarda-roupa. As calcinhas são minúsculas (possuem vários exemplares vermelho bordel e de renda). Brincos com argolas gigantes e pulseiras imensas são acessórios que complementam a sua indumentária. Roupas com detalhes de zebrinha e oncinha também despertam o seu interesse. Saltos de 10 cm são muito bem-vindos ainda mais quando aliados com um micro shorts ou mini saia.

Com a piriguete não tem tempo feio. Ela transa no estacionamento da balada (as mais graduadas dentro da balada), no cinema, no banheiro da faculdade, no escritório e em lugares públicos em geral. A piriguete possui dezenas de colegas, mas amigas mesmo, praticamente nenhuma. O motivo é muito simples, que mulher com a cabeça no lugar vai querer sair com alguém que só pensa em homem e putaria? Imagina a amiga começa a namorar um bonitão, porque a piriguete o pouparia? As poucas “amigas” geralmente são piriguetes também e ai está tudo em casa, trocam ou dividem homens entre si, falam mal uma da outra pelas costas, compartilham os mesmo interesses financeiros, enfim rola aquela afinidade. Boa parte se vangloria de possuir amigos homens que na verdade querem mais traçá-la a serem confidentes.

As piriguetes são facilmente reconhecidas em seu círculo social, não apenas devido as características supracitadas, mas principalmente porque já passaram na mão da metade dos homens da sua faculdade, bairro, escritório, clube, etc. Como homens não guardam segredos de intimidades com piriguetes, todo mundo acaba sabendo o que ela gosta de fazer na cama, a posição predileta, se curte levar tapa, ser xingada, fazer sexo com mais de uma pessoa ao mesmo tempo, podendo até ser com um homem e outra mulher, chegando até a se declarar bi-sexual para parecer a super avançada e “muderninha”.

O universo Piriguetesco do BBB vem sendo suprido por legítimas representantes da piriguetagem, desde a primeira edição. Não podia ser diferente no BBB10, o que foi anunciado como “a mãe de todas as edições”,a mais especial, a mais extraordinária a que teria participantes de primeira linha, escolhidos a dedo, passando todos por várias “cadeiras elétricas” para garantia da qualidade e conteúdo dos selecionados.... É uma piada! Pois está conseguindo ser pior que o BBB2 e BBB6. Até a piriguete da vez não passa de uma cópia mal clonada da piriguete-mor do BBB9 e musa do eterno adolescente Bial: a Kiwi, para alguns alcunhada de a Panetone, dentre outros epítetos. E tivemos a sorte de não terem entrado no BBB10 uma das duas piriguetes mais famosas: Fani e Natália.

Não tenho preconceitos contra o homossexualismo masculino e feminino. O preconceito que sinto e assumo é contra piriguetes, contra mulheres vulgares, mulheres-objeto, mulheres-bunda, mulheres-frutas que não se respeitam, que adotam a baixaria como meio de vida, que rebolam a bunda e expõem o corpo pra ganharem dinheiro fácil. Abomino e enoja-me vê-las praticando atos que depõem contra a mulher, que desvalorizam o sexo feminino, fazendo com que todas pareçam fáceis e ordinárias, fúteis, descerebradas e superficiais.

Sei que dentro das cabeças dessas mulheres não há conteúdo que valha a pena, quando abrem a boca só sai asneira, piadinhas pornográficas, papos picantes sobre sexo, dentre outras tranqueiras mentais. Nunca as vejo expondo nada interessante, inteligente, que valha a pena parar para ouvir.

E, quando resolvem ter a presunção de escreverem um livro, o assunto é uma autobiografia cheia de detalhes sórdidos sobre suas vidas vazias, suas atividades sexuais, incluindo fotos da insana despida na capa, devidamente siliconada, botocada, lipo-aspirada e photoshopada,à mistura com fantasias eróticas, que visam aumentar as vendas da obra prima, da enormidade literária que, na verdade, a pseudo autora, sem a mínima condição de redigir um livro, apenas rabiscou as idéias para que outra pessoa escrevesse o texto.



A prova da comida foi realizada: a turma da xepa perdeu para os que estavam na casa de luxo. Mais uma semana para os gays conviverem com Dourado... Mais uma semana de penitência para o Moicano suportar a presunçosa e arrogante Eliane, para exercitar a tolerância com as alfinetadas provocativas de Dicésar, para testar a sua paciência com as afetadas gracinhas infantilóides de Sérgio. Segura, Dourado... pelo menos não há periguete na xepa.

19 de janeiro de 2010

Dançando e cantando na chuva!

6 COMENTÁRIOS




Como não amar esses dois parceiros. Eles escreveram uma linda história em A Fazenda. Aliás, a Fazenda resumiu-se nos dois...

Que bom é ver Igor como Fazendeiro, na reta final do jogo. Que bom é ver Karina junto com ele na luta pela classificação final. Ela, sem sombras de dúvidas, a melhor jogadora do time feminino, ele o mais aguerrido em seu jogo limpo, leal e correto. Como não existe maracutaias na apuração das votações no reality da Record, os dois lograram chegar aonde estão. Que diferença entre os dois programas, se comparada A Fazenda com o BBB10. Este com os mesmos vícios de sempre, com o apresentador deslumbrado e o diretor se achando. E haja seleção fracota de participantes!!! Argh!



Na primeira fase das provas para decidir quem vai para a Roça, perdeu a equipe de Karina e Mateus. Hoje, a dupla deverá fazer a segunda prova que decidirá qual dos dois enfrentará o julgamento do público. Leozinho escapou , mais uma vez de ir para a berlinda. Se o Fazendeiro Igor ou os três participantes não indicarem esse cabra sortudo, decerto ele vai seguir em frente. Mas não acredito que ele escape de sentir o gostinho de estar sentado no banco dos réus para sentença do público. Pode até ser que ele seja privilegiado com aprovação e permaneça no jogo... nunca se sabe, quando a pessoa não foi ainda testada.

Torço para que Karina não perca a disputa de hoje. Ela merece tanto quanto Igor estar na final, como ambos tanto desejam. Além de terem se destacado como os melhores e os mais carismáticos do reality, os dois formam um dupla encantadora, divertida e muito criativa. Nunca esquecerei algumas cenas poéticas que presenciei, protagonizadas pelos dois, dentre as quais destaco a que os mostrou, em uma manhã chuvosa, eles, de capa e guarda chuva, dançando e cantando no caminho de cercas brancas que levam ao pasto.




Como apagar da memória cada capítulo da novelinha do velho Oeste americano criada por Igor e representada por ele e Karina, com uma graça e criatividade imbatíveis? Como não amar essas duas figuras tão diferenciadas dos demais, tão especiais e únicas? Que bela lição de amizade, de lealdade, de cumplicidade e solidariedade deram esta dupla incrível, formada por dois seres inteligentes, dotados de conteúdo interior e de grandeza humana?



E o que desejam no momento atual? Nada mais e nada menos o que segredou Igor para Karina, quando esta retornou vitoriosa da Roça e trocaram um forte e carinhoso abraço: que ficassem os dois para a finalíssima, sozinhos na fazenda, para poderem sair pelo campo dançando e cantando como crianças inocentes e alheias às maldades do mundo...


Este são os donos absolutos do jogo! Estes nunca serão esquecidos, os amados por crianças, jovens e adultos... Abençoados Igor e Karina!



18 de janeiro de 2010

Rememorações, comparações e saudades!

4 COMENTÁRIOS




Dois fortes sentimentos de saudade me assaltaram desde a abertura do “puxadinho” no BBB10 e a Roça de ontem, que mandou para casa a insuportável Cacau. Saudade do BBB9, da turma do lado B, naquele puxadinho miserável, quente, apertado, sem nenhum conforto ou regalia, comendo mal, dormindo mal acomodados, mas dando o maior exemplo de conformidade com a situação, esbanjando bom humor e alegria, além daquele espírito de grupo que os uniu até o final do reality.

Comparado com essa turminha trepidante, os que ocupaou o luxuoso e sem sentido puxadinho do BBB 19 não passam de desbotada caricatura daqueles maravilhosos malucos em suas primeiras semanas de reality. Quem pode esquecer de Francine naquela bacia, com um laço enorme na cabeça? Quem não lembra das graças de Flávio, das doideiras de Nonô e da bagunça que todos juntos aprontavam?

Quem pode negar que Francine e Max levaram o BBB9 nas costas, principalmente ela, com sua graça, suas tiradas e histórias hilárias, sua emoção explosiva e o seu carisma. Max foi seu papagaio de pirata, levado no ombro da Fofurinha e passando-a para trás... No BBB9, o importante é que emoções nós vivemos fartamente... Pena que as decepções pós-bbb9 foram de arrasar!  Não com Francine!  Mas com Max que a usou para ganhar o jogo e voltou-lhe as costas , quando já tinha o dinheiro na conta...



Que saudades eu já sinto de A Fazenda! Como diverti-me com esse reality, na companhia de tantas amigas blogueiras, entusiasmadas na defesa de Igor Cotrim. Como é gratificante sabermos que nossos votos são respeitados pela emissora que, honestamente, contratou uma auditoria para conferir as apurações. Espero que a Record aprimore mais ainda a organização do seu reality, que escolha com mais capricho seus participantes e que tenha um grande sucesso na próxima vez.



Muitos elogios merece A Fazenda, desde a postura correta, educada, neutra e respeitosa do seu apresentador Brito Junior. Este pode não ter o traquejo de Bial, mas tem o que falta ao apresentador do BBB: tem compostura, tem consciência da idade que tem e da postura adequada a um apresentador de programa, não se dando ao desplante de bancar o jovenzinho sem limites, com piadinhas e irreverências com as moças e rapazes com idades para ser seus filhos. Um é impecável, o outro cada vez mais se torna ridículo.

As provas em A Fazenda são as mais criativas que já vi. O cenário natural do lugar é um encantamento para o nosso olhar, esbanjando beleza e paisagem verdejante. Ver o nascimento de um bezerrinho foi um grande momento de emoção para os peões e para nós que acompanhamos o jogo.

Depois que começou o BBB 10, em vez de arrefecer meu gosto pelo reality da Record, mais aumentou meu interesse em acompanhá-lo, até a final, participando das votações e da festa de encerramento. Espero ter a satisfação de ver Igor Cotrim receber o prêmio milionário que tanto merece. Folgo em ver Karina na final, depois de escapar de paredões ditados pela inveja e pela animosidade de gente mesquinha.

GENTE, A Fazenda continua, não percamos o foco nesse interessante jogo. Ontem festejamos a saída de Cacau. Agora, vamos recarregar as baterias para mandar de volta para casa o Leozinho sonsinho...



ÍGOR É O FAZENDEIRO DA SEMANAAAAA! Ri melhor quem ri por últimooooo! PARABÉNS ÍGOR COTRIM! O DONO DO JOGO, O MELHOR JOGADOR, DENTRE TODOS!



PARABÉNS KARINA! A MELHOR JOGADORA DENTRE AS MULHERES!  AO JOGO, GAROTA!

12 de janeiro de 2010

Força e Fé, Hebe! Sua hora de partir não é agora!

4 COMENTÁRIOS


Acompanho a trajetória de Hebe na Televisão, desde o tempo em que ela estrelava, como cantora de sucesso na extinta TVTupi. O temperamento explosivamente alegre, comunicativo, a atitude desinibida e aquele jeitão simpático e carinhoso de se comunicar com o seu público já era a sua marca distintiva e característica.


Tenho uma grande admiração por esta mulher que chegou aos 82 anos de idade sem abandonar suas atividades, trabalhando e brilhando em todas as suas aparições em eventos televisivos e em seu programa semanal no SBT, onde uma platéia feminina, quase toda ela composta por pessoas, em sua grande maioria da classe média alta, freqüenta assiduamente seu programa.


Hebe é vaidosa e chic, gosta de fazer grandes entradas em cena, como fazem as grandes estrelas... sempre muito bem vestida, caprichando nas roupas de marca, invariavelmente lindas. Se fez lipos? Ora, claro que fez várias, para manter aquele corpão enxuto e com aparência elegante e jovem, com tudo em cima. Fez plásticas ? Claro que fez todas a que tinha direito. E esse direito têm todas as pessoas que trabalham com a própria imagem e sabem que o público vive da ilusão de que seus ídolos nunca envelhecem nem podem ficar menos belos.

Sempre achei que Hebe ficou mais bonita depois de mais madura, loira e com aquele seu indefectível estilo “perua”... Ela é ré confessa: adora seus badulaques, ama jóias e curte usá-las exageradamente, pouco se importando se vão achá-la brega ou chic. Isto é ter personalidade, é se amar e não abrir espaço para complexos e chiliques por causa de críticas negativas. Apesar de famosa e de viver no meio artístico, Hebe nunca foi leviana em sua conduta, jamais teve atitudes vulgares, jamais perdeu a classe, nunca procurou sobressair, como outras apresentadoras e atrizes, por meio de envolvimentos amorosos com garotões ou trocando de namorado como se troca de roupa.



A grande festa de comemoração dos seus 80 anos no Castelo de Caras, reunindo seus mais fiéis amigos, foi um exemplo de entusiasmo pela vida e completa indiferença com a passagem dos anos. É isso mesmo: Hebe vive como quem encara a vida como uma caminhada infinita, sob a égide do tempo Aion, o tempo mítico da eternidade, que rege a existência dos deuses. É notável. Esta grande dama da Tv é notável, inigualável, única! Essa mulher, feminina e plural, é um exemplo de terceira idade sem idade, de velhice rejuvenescida interiormente, é a certeza viça de que a velhice não significa o fim da fruição da vida.

Por tudo que Hebe representa, peço a Deus, infinita fonte da Energia Universal, que a deixe ainda um bom tempo alegrando as nossas vidas, dando exemplo de força e de gosto pela vida. Ainda é cedo para a Grande Dama da TV fazer a sua grande Viagem de volta para a Luz. Segura essa, Hebe! Agüenta firme, mulher guerreira, vencedora de grandes lutas... Estamos unidas a você pela força do espírito!


7 de janeiro de 2010

QUEM É SHEILA MELLO? AINDA NÃO SEI!

9 COMENTÁRIOS


Ainda não consegui traçar um perfil da personalidade de Sheila. A criatura parece uma "metamorfose ambulante",  mudando de personagem quando estas não funcionam a contento para levá-la a sua meta milionária: vencer o reality show.


Ora, Sheila já não é a jovenzinha, gostosinha e cheia de frescor que foi no tempo do grupo O TCHAM. O tempo passou e não tem malhação que detenha os seus efeitos transformadores no físico das pessoas, especialmente das mulheres, sempre em luta contra a invasão das celulites, da flacidez e das rugas de expressão.  Ela ainda é uma mulher muito vistosa, mas não chega ao brilho e ao carisma que tiveram (e acredito que ainda têm) Carla Perez e Sheilla Carvalho. Pena que ela não tenha mudado a cabeça, o interior. Só assim, teria surpreendido de forma positiva e , talvez, estivesse entre os preferidos do público. Mas, está perdendo feio para segatti e Karina. O povo não é otário!


Sua primeira personagem foi uma espécie de revivescência da mocinha do El Tcham. Juntou-se à Bombom e  passaram as duas a explorar a sensualidade, a  representarem o papel das gostosas, super extrovertidas,  as irresitíveis, sempre  fazendo  shows  de terraço e de banheiro com danças sob o chuveiro, enquanto ensaboavam  as partes e agitavam com os bundões frenéticos.  Até que deu no que deu, resultando naquele bafão com Ígor, para quem tentou jogar a malícia, a obscenidade e a irreverência que, na verdade foram praticadas pelas duas.  Com a  defenestração da Bombom, a ilusão de Sheila de que estava abafando caiu por terra.


Após a saída da Bombom, logo Sheila arranjou outra muleta em Xuxa. O campeão, o herói das olimpíadas.  Resolveu investir na parceria e alçar voo junto com ele. Aí surgiu a segunda personagem. Totalmente avessa à anterior : a virtuosa e espiritualizada mocinha casta e pura, que ouvia as palavras do seu "mestre"  santo,  praticava meditação e  curtia uma súbita e tórrida paixão "sem beijos"  pelo careca  feioso, sem charme, sem pegada, insosso e em nada apaixinável.  Começaram, os dois, a grande farsa do amor nascido em cativeiro, tentando fazer o público de otário. Nesta fase o rebolado foi relegado ao esquecimento.




Mais uma vez, o investimento de Sheila era uma canoa furada e naufragou.  O grande herói foi defenestrado e a menina ingênua e pura ficou perdidaça, pela segunda vez sem muletas, sem a sombra de alguém com potencial de vencedor, para levá-la junto.  Novamente, Sheila mudou de personagem.





Esta  terceira personagem ainda não consegui  precisar os contornos. Tornou-se amiga de infância de Caco e de Cacau, abomina Ígor e Karina. Apenas percebi que faz o papel da mulher centrada,  séria, cheia de atitude, que abomina falar dos outros, mas que não hesita em mandar direto para a roça, quem a ameaça ou incomoda, como fez com Karina. Esta diz que não se arrependeu de não ter ficado com Xuxa, que talvez nem fosse amor o que sentia, etc, etc.  Claro, precisava desvincular a sua imagem a imagem de Xuxa, agora visto como um perdedor.



Esta terceira personagem, toma banho comportadinha,  chegando até a usar um camisão para lavar-se (imitação de Karina que toma banho de sainha) e talvez seja a mais dissimulada, falsa e artificial de todas  as anteriores. Esta é orgulhosa, não  gosta que lhe façam censuras  e  tem grande afinidade com Cacau, especialmente depois que esta voltou da terceira roça. Novamente se ilude,  grudando em alguém que julga forte no jogo.  No domingo, ela vai tomar um susto maior que o da presunçosa Bombom, vai descobrir que a FAMA é passageira e não resiste ao tempo...

Esta personagem olhava enviezado para Caco Ricci. por influência de Bombom que não  gostava do jeitão  franco e polêmico do bonitão. Quando este retornou vitorioso da roça que  eliminou Bombom,  a se achante Sheila  recusou-se até a  falar com ele. Aconteceu que Caco enfrentou Xuxa em outro paredão e detonou a segunda muleta da loura dissimulada...  Todavia,  ao incorporar a terceira personagem, logo se fez amiga do belo,  sempre toda docinha com ele e cheia de animosidade com Ígor.  O que é de pasmar  na  falsidade dessa fulana é a cara de pau com a qual ela se aproxima dos trivencedores de Roças. Se já andava  de coloio com Cacau, inclusive pela afinidade com as birras e baixarias da baixota com Ígor, depois desta última roça o grude aumentou... Volto a perguntar: QUEM É SHEILA? VOCÊS SABEM? EU AINDA NÃO SEI!


Até aó até dá para passar batido, mas a repentina jovialidade com Ígor após seu retorno da  terceira roça raia mais deslavada hipocrisia e falta de siso. Aquela brincadeira de guerra de travesseiros com "o surtado", com o "que passou dos limites", com "o obsceno de cuecas pretas" , aquela cara de nojo por ele  ter ousado chamar-lhe a atenção para o desperdício de comida, foi  a demonstração do quanto o joguinho dela é pouco limpo. Ígor que se acautele e abra o olho, para não ter que dar o ombro para essa papagaia de pirata.

  AVISOEngana-se quem pensa que este blog foi criado  para defender cegamente as mulheres.  Não, jamais  defenderei uma mulher simplesmente porque é mulher.  Não sou feminista!  Sou feminina! Nunca precisei levantar bandeiras feministas para  valorizar ou defender a mulher  (nem a mim mesma) , esse ser plural, capaz de desdobrar-se em múltiplas facetas, de superar limites, de transcender  às limitações que lhe impunham e afirmar-se como ser capaz de exercer as mesmas atividades intelectivas e trabalhistas que o homem, somadas às suas imensas habilidades de executar tarevas acumulativas no exercício dos seus papéis de mãe, de esposa, de filha, de irmã, etc, etc. 

Meu blog não valoriza a vulgaridade das atitudes, não apoia mulheres que não se respeitam, que preferem ser objeto de consumo  para os machos libidinosos e que, equivocadamente, acham que podem assumir  comportamentos masculinos que são execráveis até no próprio homem. Portanto, não adianta virem chiar  aqui no meu quadradinho com censuras  e  irreverências porque de nada adiantará.  Quem não gosta do que escrevo e de como escrevo, fique à vontade para procurar outros blogs mais ao seu gosto.


6 de janeiro de 2010

Exuberante "drag queen" está selecionada para o BBB10.

9 COMENTÁRIOS



Os rumores se confirmaram: o "BBB 10" terá mesmo uma drag queen entre seus participantes. O novo brother é Dicesar Ferreira, 44 anos, e é de São Paulo, onde atua como maquiador, ator e drag queen - que, quando "montada", atende pelo nome de Dimmy Kieer. Dicesar encarna a personagem para se apresentar em boates paulistanas. Em seu perfil no Fotolog, Dicesar se diz ator especializado em papeis femininos. Além disso, é colunista do jornal e do site gay "Abalo", onde assina como Dimmy e dá dicas de moda e comportamento para drags.


Pois, pois, o fabuloso Zeus está mesmo disposto a arripiar...  Teremos muito divertimento à vista, pois as dregs sabem ser divertidas e alto astral. Há também um gay assumidíssimo. Espero que seja inteligente, tenha muito jogo de cintura e saiba jogar. Entrou também um negro dançarino, com o cabelo rastafary, bonitaço pra caramba. Estão lá as siliconadas e aBUNDAntes de sempre (tão bom seria se o silicone no cérebro aumentasse a inteligência), os  Rambos tupiniquins esbanjando tanquinhos e músculos (pena que o cérebro não seja um músculo marombável!)...


            Sem estar produzido, quem diga que este homem feioso é aquela linda e exuberante drag queen? 

Enfim, novidade mesmo somente a drag queen. Pena que a lésbica não esteja integrando o timaço. Os velhotes estão fora, mas bem que podiam ter selecionado um cinquentão enxuto e cheio de cultura, uma gordinha assumida para fazer a diferença, uma classuda mulher madura  sem ter vergonha das celulites e da flacidez... Mas, quem manda no circo é o chefão o palhação do picadeiro...

 Mas, como nada é perfeito no planeta BBB, terei que suportar o chatérrimo Diego Alemão e a  afilhadinha de Boninho: Priscilene, a moça que lhe prestou uma honrosa e reluzente homenagem em uma discreta, cheirosinha e escondida parte do corpo, hehehehehe. Parece que a o enfeite homenageante, decorado com diamantes funcionou como massagem na vaidade egóticas do  diretor feioso e gorduchote... Ter que aturar Fany e Nathália no BBB9 já foi dose para paquiderme, inda mais tendo que  testemunhar, cheia de vergonha alheia, a babação melosa e derretida de Bial para as duas...  Ai, que vexame é ver homem já velhuscando se comportando como adolescente...  É um mico com potencialidades de gorila!

E como o assunto tratado aqui é o Big Brother Brasil, vou trancrever, a seguir, um excelente artigo de Marília Pereira Bueno Millan sobre realities shows,  para que reflitamos um pouco sobre o programa que tanto nos atrai. Todavia, gostaria que lessem, também, após a leitura do referido texto, uma reflexão minha sobre o reality show  que acontece, paralelamente, fora dos muros que nos separam das casas dos confinamentos, seja na da Fazenda, seja nas do BBB. Não que eu discorde de alguma colocação da brilhante autora do artigo, mas apenas para complementá-lo com minhas reflexões pessoais sobre o que observo do lado de cá, onde estamos.

"Como disse Novaes (1996), somos atraídos pelo fútil, pela curiosidade ávida de sensacionalismo e pela excitação banal, deixando de lado nossa potência de pensar e agir. Os "reality shows" nos proporcionam tudo isso, adormecendo nossa capacidade crítica já tão abalada pela alienação de nossas consciências.

Segundo Baudrillard (2001), o Big Brother é o espelho e o desastre de toda uma sociedade presa da insignificância que se curva diante de sua própria banalidade. É uma farsa integral, uma imagem reflexa de sua própria realidade. Para o autor, a audiência é grande graças à debilidade e nulidade do espetáculo: ou as pessoas assistem porque ali se reconhecem e/ ou assistem para se sentirem menos idiotas que os protagonistas.

Reafirmamos essas colocações, pode-se dizer que, em um estilo "fast food", engolimos as ações-reações de personagens vazios, que lutam cegamente por sua sobrevivência individual. Consumimos a exposição de pessoas que, ávidas por exibirem-se e ganharem fama, ainda que fugaz, submetem-se à superexposição. O narcisismo explícito promove o aparecimento de relações imaturas, permeadas pela escotomização e pela negação das experiências emocionais mais profundas.

Por outro lado, assistir a tais programas confere-nos a ilusão de que estamos vendo a vida real, tal qual a vivemos. Como vimos anteriormente, toda a técnica está a serviço de tornar o programa o mais real possível. O "como se", que inclui o simbólico e a abstração, dá lugar ao "é agora", numa tentativa de substituir o personagem da ficção pelo indivíduo real. O hiato entre personagem e ator desaparece, numa busca desenfreada pela verdade última das experiências humanas.

Segundo Gullo (2004), os "reality shows" são a versão moderna dos grandes circos romanos. Exploram a necessidade do ser humano de ver e participar dos problemas alheios, movido por sua incessante curiosidade, muitas vezes mórbida. Para o autor, quando o cotidiano é retratado nesses programas, torna-se uma farsa, porque tudo é programado, planejado e racionalizado: "o reality show" é o mais baixo nível do cotidiano, mostrado com tecnologia altamente elaborada com o objetivo de captar o telespectador para interesses da produção que visam ao lucro"(Gullo, 2004, p. 1).

Do mesmo ponto de vista, Couldry (2002) e Jones (2003) afirmam que o espectador é iludido ao acreditar que está vendo a realidade, o que lhe confere uma sensação prazerosa. Porém, na verdade, o que se vê é o resultado do desenvolvimento de estratégias da técnica televisiva, que visam a mimetizar o real, produzindo um programa repleto de ambigüidades, que mais se aproxima dos mitos e da novela-documentário ("docu-soap").

Os brinquedos ganharam vida pela magia sedutora das câmeras escondidas do Big Brother. Além de todos os artefatos tecnológicos, desejamos agora brincar com "gente de verdade". O prazer de assistir também advém da crença de que o outro vive o drama da sobrevivência em nosso lugar: tornamo-nos ingênuos e pueris, por um lado, e sádicos e triunfantes, por outro.

Mais surpreendente ainda é que as pessoas em geral não questionam, simplesmente assistem e consomem com voracidade, esperando sempre a próxima versão do programa porque o anterior já foi esquecido, como um dos tantos objetos descartáveis que usamos e dispensamos.

Diante do que foi dito, tais programas são retratos fiéis do mundo em que vivemos. A morte do sujeito, a fugacidade das experiências, a desvalorização da história e o culto à imagem são difundidos sem crítica ou reflexão.

O sucesso do "Big Brother" confirma a volatilidade da experiência humana pós-moderna: não queremos sentir, pensar ou agir, abdicamos da angústia existencial para que outros, nem atores e nem personagens, vivam por nós, hipomaniacamente, o que restou do verdadeiro e profundo sentido de nossa existência."
(Fonte: Artigo de Marília Pereira Bueno Milan  Univ. Paulista).

Mesmo que façamos uma sincera reflexão sobre tudo isto, mesmo que reconheçamos que é um produto manipulado com fins lucrativos, permeado por mensagens subliminares, na verdade somos atraídos para este tipo de programa. Eles nos divertem, mas também nos ensinam, se tivermos o interesse em observar os comportamentos dos confinados e, mais ainda, o das torcidas. São os dois lados da mesma história.

A minha experiência como leitora de blogs e, agora, como blogueira , apontam-me uma realidade bem mais lastimável acontecendo no lado de fora dos muros do confinamento das casas que abrigam os participantes dos reality shows. Na net se aquartelam os batalhões de fanáticos por este ou por aquele participante, dispostos a invadirem os blogs para vomitarem desaforos e agressões de todos os tipos sobre quem não torce por seus preferidos, inclusive desrespeitando quem administra o blog.

Do fanatismo agressivo não escapam sequer blogueiros e blogueiras que passam a tratar muito mal seus comentaristas, mesmo os mais antigos, que opinam de forma oposta a que eles/elas querem impor. Nesse capítulo ocorrem verdadeiros desatinos, lastimáveis atitudes de desrespeito e de agressividade de quinta categoria, inclusive atacando moralmente as pessoas com maledicências caluniosas. E não são somente as adolescentes que perdem a noção dos limites, são também pessoas já bem maduras, muitas delas protegidas pelo anonimato ou por usernames irônicos, obscenos ou debochados

. Já li excelentes trabalhos críticos sobre os reality shows, notadamente sobre o Big Brother Brasil. Mas ainda falta uma boa pesquisa sobre o que ocorre paralelamente, fora da casa dos confinados. Acredito que seja bem pior e bem mais nocivo, na medida em que os haloscans e Echos dos blogs congregam centenas de jovens que seguem o modelo ditado por que dirige tais espaços, repetindo os mesmos comportamentos execráveis de demolição moral baseada em invencionices, em mexericos caluniosos.

O que fizeram com Pink, com Mariana, com Gyselle e com Francine foi abaixo do humano, foi crueldade maledicente da pior espécie, sobrando para quem se atrevesse a defendê-las... Admito apelidos engraçados, referências jocosas, gozações sobre os micos que cometem, admito a necessidade de reações críticas, quando nos querem fazer de otários, se fazendo passa pelo que não são, etc.

Podemos sim analisar comportamentos, criticar severamente as atitudes vulgares dos confinados, combater a baixaria em seus comportamentos, as suas manifestações de maucaratismo, execrar seus erros de conduta, suas mentiras, suas falsidades e jogos sujos, mas sem usar adjetivação pesada, pejorativa, sem caluniar, sem insultar, sem injuriar e sem denegrir moralmente suas imagens com inverdades.

Fazer o contrário disto é que constitui uma tenebrosa e desastrosa lição para os mais novos, um exemplo nocivo e lastimável, indigno de pessoas que se dizem formadoras de opinião, inflando o ego e cheias de poses,  alardeando que entendem de Big Brother Brasil, quando, na verdade, só entendem do conteúdo superficial do programa e dos participantes, mas não captam nada do seu significado mais profundo e complexo. Isto compete a antropólogos, psicólogos, sociólogos e outros estudiosos dos fenômenos sociais, comportamentais e midiáticos relacionados aos realities shows. Existem excelentes trabalhos e teses sobre o tema a disposição de quem queira aprofundar o entendimento da questão e não ficar arrotando  um conhecimento que não possuem.